Ecocardiograma: como é feito e para que serve

Cuidar do coração, um dos principais órgãos do corpo humano, pode parecer assunto de quem já chegou na melhor idade. E não sem razão: as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte de homens e mulheres acima dos 65 anos. Porém o pedido de ecocardiograma não significa que o paciente tenha algo grave.

Altamente eficaz na detecção de diversas doenças, o exame também é muito importante na prevenção e monitoramento da saúde durante várias fases da vida, inclusive na gestação. Existem vários tipos de ecocardiograma – transtorácico, fetal, transesofágico, sob estresse e com doppler – , que podem ser tanto bidimensionais quanto tridimensionais.

Por não ser um procedimento invasivo, ele é simples e indolor. Saiba mais sobre esse exame:

O que é ecocardiograma

O ecocardiograma ou ecocardiografia nada mais é do que um ultrassom do coração. Ele auxilia na avaliação de algumas características do órgão, como as morfológicas – tamanho, aparência, espessura, formato -, capacidade de funcionamento e fluxo sanguíneo. Com isso, ajuda a detectar uma série de condições e doenças, já desenvolvidas ou futuras.

O exame é considerado não invasivo, pois não envolve radiação ou métodos que possam oferecer risco à saúde. E sua realização é simples, prática e de baixo custo.

Como o exame é feito

Para a realização da ecocardiografia, o paciente se deita sob a maca e, com a ajuda de um gel, o especialista desliza o transdutor sob a pele. Esse aparelho emite ondas sonoras que, ao encontrarem a massa dos órgãos, produzem ecos que são transformados em imagens, que podem ser bidimensionais (convencional) ou tridimensionais (3D).

A diferença do tridimensional está no maior detalhamento das informações, já que ele avalia três ângulos simultaneamente, e não apenas dois. A técnica permite uma melhor avaliação quantitativa e qualitativa espacial e da movimentação do coração. Há também ecocardiografias que são realizados via oral, com a ajuda de uma sonda, que permite visualizar o órgão internamente.

O exame dura, em média, de 15 a 20 minutos, e o paciente pode acompanhar todo o processo em tempo real. Para a maioria dos tipos  não é necessário preparação.

Tipos de ecocardiografia

  • Ecocardiograma transtorácico 

O ecocardiograma transtorácico (ETT) é o mais realizado. O transdutor é deslizado sob o peito e a parede abdominal, gerando imagens em tempo real do coração. Durante a sua realização, o médico pode solicitar que o paciente faça pequenos movimentos com o corpo.

  • Ecocardiograma fetal

Como o próprio nome sugere, o ecocardiograma fetal (ecofetal) é realizado durante a gravidez para avaliar o desenvolvimento do coração do bebê e detectar possíveis doenças. É um dos exames de rotina do pré-natal, realizado entre a 18ª e 24ª semana de gestação.

  • Ecocardiograma com doppler

A ecocardiografia com doppler permite ver o coração em movimento e é indicado para a avaliação do fluxo de sangue no coração, nas válvulas cardíacas e nos vasos sanguíneos. A velocidade e a direção desse fluxo são as principais medidas do exame.

  • Ecocardiograma transesofágico

O ecocardiograma transesofágico (ETE) é realizado em casos especiais, a pedido do médico para complementar o diagnóstico do ecocardiograma transtorácico (ETT). Diferentemente deste, o exame é realizado via oral, através da inserção de uma sonda no paciente. Para isso, é necessário anestesia local, e é o único que exige preparação, com jejum de, no mínimo, três horas. Por estar mais perto do coração, o exame permite imagens mais nítidas do órgão.

  • Ecocardiograma sob estresse:

Esse ecocardiograma é realizado antes ou após o coração ser submetido a um estresse, ou seja, quando é levado a uma condição acelerada, com batimentos mais intensos e rápidos. Isso pode ser causado tanto através de ingestão de medicamentos quanto por meio de realização de atividades físicas, como esteira ou bicicleta ergométrica, dependendo da avaliação do médico. O exame é solicitado, na maioria dos casos, para pacientes com suspeita de doença arterial coronariana.

Indicações gerais do ecocardiograma

Os principais alvos do ecocardiograma são os pacientes já diagnosticados com doenças cardíacas, como cardiovasculares crônicas, hipertensão e diabetes, ou que tenham histórico de casos na família. Além disso, o exame é indicado para o acompanhamento do desenvolvimento dos órgãos internos, no caso dos bebês, e como meio preventivo, já que muitas doenças não apresentam sintomas.

A ecocardiografia permite analisar aspectos morfológicos (estrutura) e as funções cardíacas, a estrutura das válvulas do coração (responsáveis pela entrada e saída de sangue) e alterações na membrana que reveste o órgão. Também serve para avaliar a persistência de sintomas corriqueiros, como fadiga intensa, falta de ar, dificuldade para respirar e aceleração excessiva do coração.

Pode detectar diversas doenças, em adultos e crianças, como sopro cardíaco, trombos no coração ou no pulmão (tromboembolismo pulmonar), doenças do esôfago, tumores e aneurisma. Conheça outros tipos de exames que podem detectar doenças cardíacas.

Neste post, vimos que o ecocardiograma é um dos principais exames no cuidado com a saúde do coração. Ele auxilia tanto na detecção de doenças quanto como caráter preventivo. Por ser um método não invasivo, a realização é simples, não exige preparos e nem gera efeitos colaterais no paciente.

Se você precisa realizar a ecocardiografia, solicite aqui o agendamento do seu exame.

Ecocardiograma: como é feito e para que serve
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM