O que é endometriose?

Cólicas fortes que chegam a levar a mulher ao hospital quase todos os meses durante o período menstrual. Esse é um dos principais sintomas da endometriose, doença que atinge cerca de 15% da população feminina em idade fértil.

Como as cólicas menstruais ainda são frequentemente julgadas como um exagero, muitas vezes a endometriose é difícil de diagnosticar. Não é incomum mulheres que têm suas vidas pessoais e profissionais negativamente afetadas pelas dores causadas pela doença.

Além de prejudicar a qualidade de vida e produtividade, a endometriose também é uma das principais causas de dificuldade de engravidar, estando associada a infertilidade feminina. Felizmente a fertilidade pode ser restabelecida com o tratamento adequado da doença.

Geralmente o diagnóstico é feito através de exames de imagem. O acompanhamento feito por um bom profissional é muito importante para um rápido diagnóstico e tratamento da doença. Confira a seguir as principais dúvidas que os pacientes costumam ter em relação à endometriose:

O que é endometriose?

A endometriose é uma condição na qual o endométrio, mucosa que reveste a parede interna do útero, cresce em outras regiões do corpo. Todos os meses, o endométrio fica mais espesso para que um óvulo fecundado possa se implantar nele. Quando não há gravidez, esse endométrio que aumentou descama e é expelido na menstruação.

Quando a mulher sofre de endometriose, algumas dessas células do endométrio, ao invés de serem expelidas, migram no sentido oposto e caem nos ovários ou na cavidade abdominal, onde voltam a multiplicar-se e a sangrar.

As células do endométrio também podem se espalhar e crescer em outras partes do corpo, como no intestino, no reto, na bexiga, no peritônio e até mesmo em órgãos distantes, como o pulmão e o cérebro. No entanto, é importante destacar que a doença não se espalha como um câncer, ou seja, a ocorrência em outras regiões não é sinal de agravamento. A explicação para o fenômeno é simples: embora a grande maioria dos episódios seja causado pela migração das células nas proximidades do útero, em algumas situações os focos são transportados diretamente pelo sangue, afetando essas e outras partes do corpo.

Quais as causas da doença?

As causas desse comportamento ainda são desconhecidas, mas sabe-se que há um risco maior de desenvolver endometriose em mulheres cujas mãe ou irmãs possuem doença – ou seja, a doença é possivelmente genética. Outra hipótese é que a doença esteja relacionada com possíveis deficiências do sistema imunológico.

Quais são os sintomas da endometriose?

Apesar de a cólica menstrual ser o sintoma mais frequente, nem sempre ela é causada pela doença. As dores podem ser provocadas por outras inflamações na pelve, cistos, miomas e alguns tumores. Mas, quando a paciente se queixa de dor, mesmo em graus mais leves, o médico precisa considerar a possibilidade de endometriose.

Há ainda outros sintomas comuns, como:

  • Dispareunia – dor durante as relações sexuais
  • Dor e sangramento intestinais e urinários durante a menstruação
  • Dificuldade de engravidar

Se outras áreas ou órgãos forem afetados, há certos sintomas que podem aparecer, de acordo com a área acometida:

  • Pulmão: tosse com sangue
  • Intestino: dor ao evacuar e diarreia
  • Nervo ciático: dores na lombar e no músculo posterior das coxas
  • Diafragma: dores no ombro direito e pescoço

É possível ainda que a endometriose seja assintomática. Nesses casos a doença também precisa de tratamento, mas só será diagnosticada através de exames de imagem e de rotina.

Quais são os tipos de diagnóstico?

O exame ginecológico clínico é o primeiro passo para o diagnóstico, pois ele irá apontar a suspeita da doença. O quadro pode ser confirmado por exames laboratoriais e de imagem, como ultrassom pélvico e transvaginal; teste da proteína sérica smiloide A (SAA); visualização das lesões por laparoscopia; ressonância magnética da pelve; ecoendoscopia retal (ecocolonoscopia); colonoscopia; urografia excretora; urorressonância magnética; cistoscopia e um exame de sangue chamado marcador tumoral CA-125, que detecta a alteração dessa proteína nos casos mais avançados da doença.

Na maioria das vezes é necessário a realização de mais de um exame, como a biópsia do endométrio. Cada exame tem a sua própria indicação e a decisão de quais serão realizados cabe ao seu médico.

Quais são os tratamentos para endometriose?

O tratamento da endometriose depende da idade da paciente, dos sintomas apresentados, da gravidade da doença e do desejo ou não de ter filhos. Dentre as opções de tratamento estão:

  • Medicamentos para controlar a dor e minimizar a progressão da doença
  • Cirurgia para retirar as áreas afetadas pela endometriose
  • Cirurgia radical – histerectomia com retirada dos dois ovários.

Em todos os casos, uma dieta saudável e a prática de exercícios físicos ajudam a reduzir os sintomas – muito embora não sejam suficientes para resolver todo o problema.

Não imagine que a cólica menstrual é um sintoma natural na vida da mulher, principalmente porque isso afeta a sua qualidade de vida. Ao suspeitar de qualquer problema, procure o ginecologista e descreva o que sente para ser orientada com os exames adequados.

Inicie o tratamento indicado ao seu caso tão logo tenha sido feito o diagnóstico da doença e, se você deseja engravidar, lembre-se que, apesar da endometriose estar entre as causas possíveis da dificuldade de gravidez, a fertilidade pode ser restabelecida com tratamento adequado.

Assine nossa newsletter e acompanhe nosso Facebook para receber mais conteúdos sobre saúde.

Rate this post
O que é endometriose?
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM