Ultrassom da tireoide: o que pode detectar

A tireoide é uma das glândulas mais importantes para o funcionamento do metabolismo corporal de forma equilibrada e harmônica. Localizada na parte anterior do pescoço, logo abaixo do gogó, ela é responsável pela produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina), que auxiliam nas funções de órgãos como o coração, cérebro e rins.

Não é incomum que ocorram inflamações nessa glândula, que tanto podem reduzir a sua capacidade de funcionamento quanto também acelerar, causando hipotireoidismo ou hipertireoidismo. Em ambos os casos, o ultrassom da tireoide é o exame de imagem que pode ajudar a detectar e diagnosticar tais anomalias. Esse tipo de ultrassom da cervical serve para diagnosticar lesões focais (nódulos), tanto benignos quanto malignos, e avaliar linfonodos (gânglios) e glândulas salivares.

Ganho ou perda excessiva de peso, ressecamento da pele, cansaço, aumento das taxas de colesterol e variação do ciclo menstrual são alguns dos sintomas comuns em quem apresenta disfunções na produção dos hormônios da tireoide. A seguir, saiba como funciona o ultrassom da tireoide e quando realizá-lo.

Como funciona o ultrassom da tireoide

O ultrassom da tireoide, assim como as outras ultrassonografias, não exige preparo, é simples e indolor. Para a sua realização, o paciente se deita na maca e o responsável pelo procedimento desliza o transdutor pela garganta com a ajuda de um gel. Esse aparelho emite ondas sonoras de alta frequência que, em contato com os órgãos, geram imagens bidimensionais em tempo real. Além disso, também não há efeitos colaterais após a realização do exame.

Indicações do exame

A ultrassonografia da tireoide é realizada, geralmente, quando há um crescimento anormal da glândula. É indicada a pacientes que já tenham histórico de variação ou doença hormonal como hipotireoidismo e hipertireoidismo, casos de câncer de tireoide na família ou que possuam nódulos palpáveis e visíveis, detectados no exame de toque.

Há também diversos sintomas que podem indicar variações no funcionamento da glândula, já que muitos dos nódulos não são palpáveis nem visíveis. Os principais são ganho ou perda de peso em excesso e de forma arbitrária, desregulação do ciclo menstrual, problemas de fertilidade, funcionamento irregular do intestino, dores musculares e articulares, diminuição da memória, cansaço, agitação, sonolência, aumento do colesterol e problemas de controle emocional.

Mas, antes de qualquer coisa, é preciso contar com acompanhamento médico responsável. Alguns profissionais alertam que o exame não deve ser feito em todos os casos, já que mais da metade da população apresenta ou irá apresentar nódulos benignos na tireoide em algum momento da vida. O que não significa, contudo, que sejam cancerígenos, o que pode causar confusão e ansiedade nos pacientes.

É também preciso levar em consideração a idade e o sexo do paciente na avaliação, pois as doenças resultantes do mau funcionamento da tireoide são mais comuns em mulheres acima dos 40 anos. Por isso, é indicado que esse público faça o controle com um endocrinologista regularmente.

O que o ultrassom da tireoide pode detectar

  • Hipertireoidismo ou Hipotireoidismo

O hipertireoidismo e hipotireoidismo são doenças causadas por alterações na produção de hormônios pela glândula tireoide. Na primeira, há um aumento na produção dos hormônios T3 e T4, podendo gerar perda de peso, aumento dos batimentos cardíacos, ansiedade, insônia.

Já a segunda doença é o oposto: diminuição na produção dos hormônios, que causam aumento de peso, cansaço, fraqueza e até impotência sexual. As causas podem ser congênitas (desde o nascimento), autoimunes, inflamatórias ou mesmo efeitos colaterais do tratamento de outras doenças.

 

  • Doença de Graves

A doença de Graves é um tipo de hipertireoidismo de causado por condições autoimunes. Além dos sintomas já descritos, o paciente também pode apresentar olhos salientes e formação de placas endurecidas e avermelhadas sob a pele.

 

  • Bócio

O bócio é caracterizado pelo aumento visível do tamanho da tireoide. As causas podem ser diversas, desde inflamações a formação de nódulos nas glândulas. São comuns sintomas como dificuldade para engolir e respirar e sensação de aperto na garganta.

  • Nódulos e cistos

O aparecimento de nódulos e cistos nem sempre tem uma causa descoberta. A grande maioria deles é benigno, desaparecendo naturalmente, sem a necessidade de tratamento ou retirada. Podem ser palpáveis ou não e, para a sua avaliação, é necessário levar em conta o histórico familiar do paciente.

  • Tumores

Os tumores são formados quando há o crescimento de tecido anormal, que pode ser benigno ou maligno (cancerígeno). Neste segundo caso, quando o câncer é detectado, é necessário que se faça a retirada da glândula. Assim como nos outros casos, as causas nem sempre são determinadas.

Como vimos, o ultrassom da tireoide é um exame de imagem que permite a avaliação de uma das principais glândulas do corpo humano. Responsável pela produção de hormônios, a tireoide também atua em funções de órgãos como o coração. O autoexame é um aliado importante no seu acompanhamento, permitindo detectar possíveis alterações. Além disso, o acompanhamento médico e a realização periódica de exames é fundamental. Para a sua realização, não é necessário nenhum tipo de preparo e a entrega do resultado é imediata.

Se você precisa sair da sua cidade para realizar o exame, saiba como se preparar para esse momento. Preparamos um checklist com 9 itens fundamentais para que você se programe da melhor forma possível.

Ultrassom da tireoide: o que pode detectar
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM