Cintilografia de perfusão pulmonar: entenda o que é o exame!

A cintilografia de perfusão pulmonar permite avaliar a funcionalidade dos pulmões. Realizado em duas etapas, o exame possibilita ao especialista analisar também as condições do alvéolo-capilar, além de realizar o diagnóstico, acompanhamento de casos de tromboembolismo pulmonar agudo (TEP) e casos de hipertensão pulmonar por TEP crônico. 

O tromboembolismo exige diagnóstico precoce, pois é uma condição em que ocorre a interrupção do aporte sanguíneo para os pulmões. Com sua identificação por meio da cintilografia de perfusão, é possível iniciar um tratamento rápido e preservar a função dos órgãos.

Pela importância que este exame representa diante da identificação de doenças e outras situações, a cintilografia de perfusão pulmonar muitas vezes acaba assustando o paciente quando é solicitada pelo médico. Para que você entenda o que é este exame, desenvolvemos o artigo a seguir com informações importantes. Confira!

O que é cintilografia de perfusão pulmonar?

A cintilografia é o exame usado para avaliar a presença de alterações na passagem do ar nos pulmões, ou na circulação de sangue. A cintilografia de perfusão pulmonar é um dos tipos existentes do exame, que conta com algumas variações como a por inalação e para detecção de aspiração, utilizada em suspeita de refluxo gastroesofágico. 

Na cintilografia de perfusão pulmonar o teste é realizado com o uso de um medicamento que apresenta capacidade radioativa, como o Gálio 67 e o Tecnécio 99m. Além disso, um aparelho para a captação das imagens formadas pelo uso dessas medicações.

Nesse tipo de cintilografia, o médico pode avaliar por meio do exame o sistema circulatório pulmonar, examinando a presença de doenças de perfusão sanguínea, como a embolia pulmonar. Além disso, é possível estudar a eficácia de vasos adjacentes. 

Para a segurança dos pacientes durante a pandemia, informamos que a Clínica CEU suspendeu temporariamente o exame de Cintilografia Pulmonar Inalação para avaliação de tromboembolismo pulmonar.

Quando o exame é solicitado pelo médico?

Quando a cintilografia de perfusão pulmonar é indicada, o profissional busca alguma alteração das funções do pulmão. Além disso, pessoas com histórico de trombose venosa profunda, hipercoagulação, ou com exames como raio-x de tórax, ultrassom ou arteriografia sugestivos para possível TEP. Os principais casos em que a cintilografia de perfusão pulmonar é requisitada, são:

  • diagnóstico e controle de tromboembolismo pulmonar;
  • enfisema pulmonar;
  • infarto;
  • deformidades em vasos sanguíneos;
  • avaliação de doenças congênitas, como malformações em vasos sanguíneos;
  • observação da circulação pulmonar como preparo para realização de cirurgias.

Como a cintilografia de perfusão pulmonar é feita?

A cintilografia de perfusão pulmonar geralmente costuma ser acompanhada também pela etapa inalatória. Nela, o paciente inala o medicamento com funções radioativas a princípio para que as imagens sejam realizadas por meio do aparelho de medicina nuclear responsável, o Gama Câmera. A etapa de perfusão é realizada posteriormente, com o paciente já deitado recebendo o medicamento via endovenosa. Confira mais detalhes sobre as duas fases da cintilografia pulmonar.

1ª etapa – inalação

A inalação do medicamento específico para a cintilografia é realizada também com soro fisiológico. Quando a pessoa respira o conteúdo, o medicamento se deposita nos pulmões e, em seguida, as imagens são capturadas pelo aparelho com o paciente deitado em uma maca.

2ª etapa – perfusão

Já na segunda parte do exame, é realizada a aplicação do medicamento radiofármaco por injeção intravenosa (na veia). Dessa forma, as imagens da circulação do sangue nas proximidades do pulmão podem ser visualizadas e registradas em imagens.

Para realizar a cintilografia de perfusão pulmonar não é necessário que o indivíduo esteja em jejum ou tenha qualquer outro preparo específico. Contudo, é importante levar exames anteriores no dia de realizar a cintilografia. Assim, é possível auxiliar o médico na investigação e interpretação do novo exame, possibilitando um diagnóstico mais preciso. 

Após os exames, os medicamentos radiofármacos são eliminados em poucas horas do organismo pelos rins ou intestino. A radioatividade é diminuída e, em boa parte das vezes, já é indetectável quando o indivíduo chega em casa.

Além da cintilografia de perfusão pulmonar, o exame pode ser realizado para identificar doenças ou alterações em diferentes órgãos e sistemas. Entretanto, os casos em que o exame é mais solicitado por médicos é para regiões de tireoide, esqueleto, coração, rins e pulmões.

Agora você já sabe como a cintilografia de perfusão pulmonar pode ser um procedimento fundamental na identificação de doenças graves, como a tromboembolia pulmonar e outros problemas relacionados à circulação sanguínea na região dos pulmões. 

Este artigo foi útil? Então, confira também cuidados ao realizar um exame de imagem!

Cintilografia de perfusão pulmonar: entenda o que é o exame!
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM