Implanon: Conheça o implante anticoncepcional

Já ouviu falar em implante anticoncepcional? Trata-se de um método contraceptivo muito eficiente e relativamente novo, também conhecido como Implanon.

Segundo pesquisa da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz, mais de 50% das gestações não planejadas resultam da falha no uso do anticoncepcional contínuo.

O problema é tão grave que desestrutura a vida de mulheres, ocasionando todo ano em mais de 500 mil abortos clandestinos, de acordo com a Pesquisa Nacional do Aborto. Todo esse cenário coloca o Brasil muito acima da média internacional de gestação não planejada, que gira em torno dos 40%.

Cada mulher tem uma necessidade diferente. Nesse sentido, o Implanon, é o um dos métodos anticoncepcionais mais indicados e pode ser usado por mulheres de todas as idades.

Aqui na Clínica CEU temos um grande compromisso com a saúde feminina. Por isso, além da colocação do DIU, a inserção do implante também fazer parte dos procedimentos realizados.

O assunto é de seu interesse? Continue a leitura e entenda mais a fundo o que é o Implanon e tudo o que envolve o implante anticoncepcional.

O que é Implanon?

O Implante Contraceptivo Subdérmico é um dispositivo anticoncepcional. Sua ação dura por até 3 anos, sendo fácil de inserir e de remover.

Sua eficácia é garantida e maior que a ligadura das trompas uterinas, que o dispositivo intrauterino (DIU) e o anticoncepcional ral. Ele libera porções de hormônio em quantidade inferior àquela presente na pílula.

Trata-se de um bastão pequenino que tem cerca de 2 mm de diâmetro por 4 cm de comprimento, sendo semelhante a um palito de fósforo.

Como o implante anticoncepcional impede a gravidez?

O Implanon é inserido no antebraço, liberando continuamente um hormônio derivado da progesterona – o etonogestrel – na corrente sanguínea. Esse hormônio bloqueia a ação dos ovários, impedindo-os de liberar os óvulos e também aumenta a hostilidade do muco cervical, que passa a ser mais espesso e, portanto, reduz a motilidade do espermatozoide.

Como é a inserção do Implanon?

A inserção do Implanon deve acontecer em uma clínica especializada ou consultório médico. O procedimento é feito com anestesia local, rápido e praticamente indolor, podendo causar um leve desconforto.

Recomenda-se que a paciente esteja no período menstrual. No caso de lactantes, é necessário terminar o puerpério – período de 60 dias após a gravidez. Além disso, é preciso descartar qualquer hipótese de gravidez para a inserção.

Como se dá a adaptação ao Implanon?

Uma vez instalado o implante anticoncepcional, entra a fase de adaptação. Esse tempo pode durar de 3 a 6 meses. Lembre-se de que ele afetará o funcionamento do seu organismo, por isso é preciso ter um pouco de paciência até que se passe a fase de adaptação.

Pode acontecer irregularidade menstrual e escapes de sangue fora do período. Após esse tempo, as seguintes situações que podem ocorrer:

  • Ausência de menstruação,
  • Persistência de menstruação, mas em menor volume e diminuição das cólicas,
  • Sangramentos irregulares eventuais.

O ideal é observar quaisquer condições diferentes, realizando o acompanhamento adequado e informando sempre ao seu médico possíveis sintomas.

O implante anticoncepcional é indicado para mim?

Conforme falamos no começo, o Implanon pode ser usado por mulheres que qualquer idade. Se você não se adapta aos métodos contraceptivos tradicionais, o implante anticoncepcional é altamente recomendado para você.

Confira as vantagens do Implanon:

  • Tem alta eficácia na prevenção da gravidez, que começa poucos dias após a inserção do implante;
  • Possui duração de três anos, não precisando que a paciente tenha que se lembrar diariamente de fazer uso de algum método;
  • Impede a menstruação, o que é ideal para mulheres que sofrem de fluxos intensos e desconfortos
  • Reduz a tensão pré-menstrual, pois ameniza os hormônios e consequentemente as cólicas;
  • É uma alternativa ao estrógeno, pois muitas mulheres não podem fazer uso anticoncepcionais à base desse hormônio;
  • Não afeta a parte hepática e gástrica do organismo, como algumas pílulas orais que causam vômito e enjoo.

Quais as contraindicações do Implanon?

Assim como todo medicamento, o implante anticoncepcional pode causar alguns efeitos colaterais. Por isso, antes de escolher esse método, é essencial conversar com o seu ginecologista.

Vale apontar também as possíveis reações adversas, não muito frequentes, como:

  • Pequeno aumento de peso;
  • Pele oleosa, resultando em acne;
  • Aparecimento de manchas na pele;
  • Dor de cabeça, abdominal e nas mamas;
  • Alterações de humor;
  • Diminuição da libido.

Muitos dessas reações são transitórias, assim como o escape menstrual. O esperado é que o organismo se adapte em até 6 meses.

Além disso, é essencial ponderar que o uso do Implanon não protege o organismo contra doenças sexualmente transmissíveis. Apenas a camisinha, que é um método de barreira, é capaz de ter uma proteção eficaz contra as DSTs.

O implante anticoncepcional é um método contraceptivo que pode ser uma ótima escolha para várias mulheres, protegendo contra a gravidez. Sempre é bom lembrar que todos os métodos, até os definitivos, possuem taxas de falhas.

Antes de tomar qualquer decisão referente à sua saúde, procure um especialista. Se já realizou a escolha pelo Implanon, solicite a sua inserção no nosso site. Temos um corpo clínico qualificado para realizar o procedimento com segurança e tranquilidade.

Implanon: Conheça o implante anticoncepcional
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM