Tuberculose: sintomas, diagnóstico e tratamento

A tuberculose é uma das doenças que mais matam no mundo. Em média, 4.500 pessoas morrem por dia devido a complicações da tuberculose. A situação da doença é alarmante, tanto que faz parte das metas da Organização Mundial da Saúde (OMS) reduzi-la significativamente.

Apenas em 2017 foram registrados 34,8 casos de tuberculose por 100 mil pessoas, segundo dados da Agência Brasil. Os números são preocupantes e o Brasil é um dos países que ainda precisa dar muita atenção ao assunto.

O primeiro passo para lidar com qualquer doença é a prevenção. Por isso, confira o texto e conheça mais sobre a tuberculose: sintomas, diagnóstico e tratamento.

O que é a tuberculose

A tuberculose é uma doença causada por bactérias e considerada infectocontagiosa, devido à sua forma de transmissão. Os pulmões são os maiores infectados, mas ela não se restringe a eles, podendo afetar os rins, ossos e as meninges, que são as membranas que cobrem o músculo cerebral.

A doença afeta tanto jovens quanto adultos e mata mais do que o HIV/AIDS, de acordo com a OMS. Inclusive, existem grupos de pessoas mais vulneráveis, como portadores do HIV, diabéticos e consumidores compulsivos de drogas, como o álcool, o cigarro e outras – nessas condições a defesa do organismo fica comprometida.

Apenas no Brasil, são notificados quase 70 mil casos novos da doença e Minas Gerais está no centro do problema.

Casos de tuberculose em Minas Gerais

O estado mineiro está em alerta. Apenas em 2017 foram confirmados 3591 novos casos de tuberculose, segundo o Ministério da Saúde. A região metropolitana de Belo Horizonte representa cerca de um terço dos casos em MG. Outros focos de risco são os municípios de Coronel Fabriciano, Montes Claros e Juiz de Fora.

É importante destacar que a doença é sim passível de prevenção. Por isso, vamos à ela primeiro!

Tuberculose: transmissão e prevenção

A transmissão da tuberculose do tipo pulmonar acontece pelo ar, de pessoa para pessoa. Geralmente ocorre quando uma infectado espirra, tosse, fala alto e próximo expelindo os bacilos que carregam a doença.

A primeira prevenção é a vacina BCG, aplicada no recém-nascido, mas ela não é eficaz contra a tuberculose pulmonar. Por isso, orienta-se manter a higiene, lavando sempre bem as mãos e mantendo distância segura de pessoas suspeitas. 

Há também um tipo de prevenção secundária, recomendada para aqueles que convivem com doentes, segundo o Portal Fiocruz. De toda forma, a rápida detecção é indispensável para o tratamento eficaz!

Tuberculose: sintomas e diagnóstico

A tuberculose tem sintomas bem característicos que são, no início, tosse seca acompanhada de secreção ao longo de mais de três semanas. Seguindo a evolução da doença, os próximos sinais são:

  • Prostração e cansaço excessivo;
  • Tosse com sangue ou pus;
  • Rouquidão;
  • Falta de apetite;
  • Febre no período da tarde seguida de suor noturno e 
  • Emagrecimento.

É importante ficar bem atento aos sintomas iniciais. Uma vez observados esses indícios, a pessoa deve ser encaminhada para a unidade de saúde mais próxima de sua casa e passar por triagem – que deve conduzi-la a um hospital, caso se confirme suspeita da doença.

Os exames que atestam a tuberculose são a baciloscopia, raio-X de tórax. Em casos graves pode ser necessária a realização de biópsia.

Tuberculose: tratamento

Comumente o tratamento da tuberculose pulmonar se dá em duas etapas com o mesmo medicamento, um comprimido com os componentes isoniazida, pirazinamida, rifampicina e etambutol. 

Primeiros dois meses: é a fase intensiva do tratamento em que o indivíduo deve fazer uso do comprimido com as quatro substâncias.

Próximos quatro meses: é a fase de manutenção em que se usa apenas o comprimido contendo dois componentes, a rifampicina e a isoniazida.

É importante ressaltar que nem sempre pessoa fica curada da infecção após o tratamento – o que demanda uma atenção diferente.

Os riscos de se interromper o tratamento da tuberculose

Interromper o tratamento pode levar ao agravamento da doença, uma vez que a bactéria, tendo tido contato com o medicamento, evolui e se torna mais resistente a ele. A interrupção também pode levar a um tratamento mais longo, durando anos e envolvendo o uso de várias drogas.

Conhecer a tuberculose, sintomas, diagnóstico e tratamento é importante para entender como devem ser conduzidos casos de suspeita da doença.

Assim como a tuberculose, há diversas outras doenças que aparecem sobretudo no outono e inverno. Saiba como preveni-las!

Tuberculose: sintomas, diagnóstico e tratamento
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM