Fevereiro Roxo: afinal, você sabe o que a campanha significa?

A campanha Fevereiro Roxo foi criada em 2014 como forma de conscientizar a população em relação a 3 doenças: Lúpus Eritematoso Sistêmico, Alzheimer e Fibromialgia.

Apoiada pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica (SBCM), o Fevereiro Roxo visa informar as pessoas sobre a importância do diagnóstico precoce em casos como esses. 

No entanto, apesar de serem distintas, as doenças têm em comum o fato de não possuir cura. Ou seja, motivo que reforça a importância de um diagnóstico correto para que o tratamento seja feito de forma eficaz e segura. Assim, proporcionando bem-estar e qualidade de vida.

Dessa maneira, um dos problemas que impedem o diagnóstico precoce para essas doenças é a identificação de seus sintomas. Assim, por esse motivo, no artigo a seguir você vai conhecer um pouco mais sobre o Fevereiro Roxo e as doenças que a campanha preconiza! 

Confira!

Fevereiro Roxo: o que a campanha representa?

A campanha Fevereiro Roxo é uma maneira de refletir na população a importância de proporcionar bem-estar e qualidade de vida para pessoas portadoras de doenças crônicas, como o lúpus, Alzheimer e fibromialgia.

Para isso, é fundamental conhecer melhor as doenças e seus sintomas como para saber o momento de procurar um especialista.

Saiba mais sobre cada uma das enfermidades abaixo:

Lúpus Eritematoso Sistêmico

Parte das doenças representadas pelo Fevereiro Roxo, o Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença inflamatória e autoimune que afeta múltiplos órgãos e tecidos como pele, articulações, cérebro e rins. 

Isto é, por ser uma patologia autoimune, o lúpus causa a destruição dos tecidos saudáveis do corpo pelo próprio sistema imunológico sem causa conhecida.

Mais comum entre mulheres, os sintomas da doença podem variar de acordo com a região do corpo afetada. Entre os principais, estão:

  • febre;
  • fadiga;
  • rigidez muscular e inchaço;
  • dores em articulações;
  • lesões na pele que pioram com exposição ao sol;
  • vermelhidão na face sobre bochechas e nariz (em formato de borboleta);
  • dificuldades para respirar;
  • dores de cabeça;
  • confusão; 
  • sensibilidade à luz solar;
  • queda de cabelo;
  • feridas na boca;
  • desconforto, mal-estar e ansiedade.

Alzheimer

A doença de Alzheimer ganhou o nome do médico que a descreveu primeiro em 1906, o psiquiatra Alois Alzheimer. Também parte da campanha Fevereiro Roxo, essa doença degenerativa apresenta como sintomas principais a falta de coerência na fala e perda de memória. 

Dessa maneira, o indivíduo se lembra de histórias antigas e passa a repeti-las, sem se lembrar de fatos recentes, ocorridos no mesmo dia. Dessa forma, ainda que seja relacionada às pessoas de mais idade, a doença pode aparecer precocemente em indivíduos que tenham casos na família.

Além disso, classificada como principal causa da demência, o Alzheimer torna a pessoa dependente para as tarefas básicas do dia a dia. Ainda sem cura, afeta a capacidade de atenção da pessoa, assim como seu aprendizado e convívio social. 

Ao ser diagnosticada ainda no início, é possível introduzir um tratamento terapêutico e medicamentoso que ajuda no retardo dos efeitos mais graves.

Entre os sintomas que a doença de Alzheimer pode apresentar:

  • problemas de linguagem;
  • confusão com horários e dias da semana;
  • desorientação em relação à lugares que são conhecidos;
  • esquecimento de fatos recentes.

Fibromialgia

A fibromialgia é uma síndrome pouco conhecida que afeta em sua maioria mulheres entre 30 e 60 anos. Além de dor generalizada, a doença causa fadiga, dificuldades cognitivas como problema de concentração e perda de memória, dores nas mãos e pés, insônia e até mesmo quadros de depressão.

Uma das principais dificuldades apresentadas no momento de diagnosticar essa doença também representada pelo fevereiro roxo é que muitas vezes seus sintomas podem ser confundidos com situações de estresse ou mal-estar do dia a dia.

Visto que todos seus sintomas podem ser relativamente comuns, acredita-se que a fibromialgia é uma doença subnotificada. Sem cura, sua causa também é desconhecida, ainda que alguns fatores estejam envolvidos, como a hereditariedade.

A importância da campanha para um diagnóstico precoce

Com a visibilidade que o Fevereiro Roxo leva para essas doenças, é possível que a população tenha mais conhecimento sobre seus sintomas. Assim, aumentando as chances do diagnóstico precoce realizado por um especialista.

Dessa maneira, o portador da doença pode ter um tratamento adequado, ainda que as doenças não tenham cura. 

Terapias medicamentosas e tratamentos complementares como fisioterapia, acupuntura, atividades físicas, terapia e outros são importantes para que a pessoa volte a ter condicionamento, melhorando seu humor, mobilidade, capacidade cognitiva, e oferecendo qualidade de vida.

Conclusão

A campanha Fevereiro Roxo é uma forma de levar conscientização sobre essas doenças graves e sem cura para a população. Isto é, conhecendo a importância do diagnóstico precoce em casos como esses, é possível mostrar como a busca por um especialista ao perceber algum de seus sintomas é um grande diferencial. 

Gostou destas informações? Então, compartilhe sobre o fevereiro roxo em suas redes sociais e ajude a levar conhecimento aos seus amigos!

Fevereiro Roxo: afinal, você sabe o que a campanha significa?
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM