Sintomas do coronavírus: saiba identificar

Muito se tem falado sobre o coronavírus e seus sintomas. No entanto, muitos estão fazendo isolamento social ainda com dúvidas sobre como identificar a doença. No texto a seguir, explicamos a você como se prevenir e identificar os sintomas do Covid-19. Fique atento!

Ao contrário do que muitos pensam, essa doença não é nova. Contudo, esse agente é novidade e foi descoberto em 31/12/2019 na China. É ele quem transmite o novo coronavírus, mas conhecido por COVID-19. Os primeiros vírus desse tipo identificados em humanos foram isolados em 1937. Entretanto, somente em 1965 é que recebeu o nome de coronavírus, devido ao seu perfil na microscopia se assemelhar a uma coroa.

Saiba mais a seguir sobre os sintomas do coronavírus, que já virou uma pandemia, e como se prevenir.

Principais sintomas do coronavírus

Ao longo da vida, muitas pessoas se infectam com o tipo mais comum do coronavírus, que são os alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1, sendo as crianças pequenas as mais propensas a ter esse contágio. No entanto, esse novo coronavírus costuma ser mais agressivo, além de ter uma maior transmissibilidade

Por ter um período de incubação de 2 a 14 dias, muitas pessoas podem estar com o vírus e ainda não apresentarem sintomas. Ainda que, em casos assintomáticos e nos períodos de incubação o novo coronavírus não é contagioso, por ser um agente novo, a duração do período de transmissibilidade ainda é desconhecida.

Os principais sintomas conhecidos são:

  • Febre alta, a partir de 37,8°C
  • Tosse seca
  • Dificuldade para respirar

Devido a esses fatores, pessoas idosas, com problemas respiratórios e doenças crônicas fazem parte do grupo de risco. Mas é necessário estar atento para não confundir o novo coronavírus com doenças próprias desta época do ano, quando começa a esfriar, como rinites, gripes e resfriados. Antes de procurar ajuda, busque identificar os sintomas do coronavírus atentamente.

O que fazer em caso de suspeita

Caso você faça parte do grupo de risco, que são as pessoas com mais de 60 anos ou que apresentam doenças crônicas, como diabetes, hipertensão e fumantes, vá à Unidade de Pronto Atendimento ou Pronto Socorro mais próximo para internação. Esse procedimento não é para tratar o novo coronavírus, pois ele não tem cura, é para impedir complicações pulmonares, como pneumonia ou até mesmo óbitos.

Se você mora com as pessoas do grupo de risco, faça a sua própria quarentena, se isolando deles na própria casa ou, se conseguir sair, melhor ainda, vá morar em outro local durante os quinze dias do tratamento e desaparecimento dos sintomas

No entanto, se você não se encaixa em nenhum desses casos e suspeite que está com o novo coronavírus, não saia de casa e trate como se fosse um resfriado comum. Ir para o pronto socorro nesses casos é perigoso, pois você pode transmitir o vírus para quem está lá e é do grupo de risco ou para os profissionais de saúde. 

Para identificar se é ou não o novo coronavírus, preste atenção nos sintomas já descritos. Rinite não causa febre, embora possa progredir para um sinusite. A gripe pode vir acompanhada de dores no corpo e dor de cabeça, sintomas raros na COVID-19. E o resfriado vem acompanhado de espirros, coriza e nariz entupido, o que não faz parte dos sintomas comuns do novo coronavírus

Portanto, se você estiver com resfriado ou  gripe, fique em casa e cuide-se de acordo com os sintomas. Nada de sair transmitindo os vírus, sendo o novo coronavírus ou não, para quem quer que seja.

Ações de prevenção 

  • Lave bem as mãos com água e sabonete por pelo menos 20 segundos e, no mínimo, umas 6 vezes ao dia. Álcool em gel somente para os casos em que você não possa lavar as mãos, quando estiver na rua ou ao manusear dinheiro.

  • Se estiver doente, fique em casa. Evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos sujas. Evite contato próximo com as pessoas doentes ou não, lembre-se que a doença demora um tempo para aparecer os sintomas.

  • Cubra a boca e o nariz com lenços de papel ao tossir ou espirrar e, após isso feito, jogue o papel no lixo. Limpe e desinfete objetos tocados frequentemente, como celulares e óculos. Use as máscaras somente se estiver doente e precisar muito sair de casa. Se estiver saudável, a máscara não vai evitar que você tenha contado com o novo coronavírus.

Como ainda não tem tratamento específico para o coronavírus humano, recomenda-se cuidados domiciliares, como o uso de antitérmicos e analgésicos para dor e febre, ingestão de bastante água e uso de umidificador nos quartos. Banhos quentes também são recomendados para alívio do mal estar, cansaço e dores de garganta. Mesmo que seja uma gripe ou resfriado comum, evite contato com outras pessoas enquanto se trata.

Devido ao alastramento da epidemia do Coronavírus (COVID-19), a Clínica CEU Diagnósticos está trabalhando normalmente, com todos os cuidados. Caso você apresente sintomas de gripe ou resfriado ou tenha tido contato com qualquer pessoa potencialmente contaminada com o novo vírus, sugerimos que reagende seu exame para uma data futura. Se tiver alguma dúvida, entre em contato conosco. Vamos todos fazer a nossa parte

A Clínica CEU possui várias ações de biossegurança como higienização contínua de áreas, disponibilização de álcool 70º em todos os locais de atendimento e espera, campanhas de conscientização para higienização das mãos, luvas e máscaras para pacientes e colaboradores, quando necessário. Proteger e evitar riscos é responsabilidade de toda a sociedade.

Com essa pandemia de coronavírus, muitas pessoas estão deixando de lado os cuidados com a dengue, chikungunya e zika. Vamos relembrar como prevení-las? 

Sintomas do coronavírus: saiba identificar
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM