Prevenção contra a dengue, zika e chikungunya

Dengue, zika e chikungunya, enfermidades com um mesmo agente em comum, o Aedes aegypti, cujo nome significa “odioso do Egito”. O pernilongo é originário da África. As três doenças também podem ser transmitidas por outro mosquito do mesmo gênero, o Aedes albopictus

No ciclo reprodutivo do pernilongo, o macho se alimenta da seiva de plantas. Enquanto isso, a fêmea suga o sangue de hospedeiros, de preferência humanos, para amadurecer os ovos. O vírus dessas doenças também é transmitido da fêmea para os filhotes durante o ciclo reprodutivo, no que é chamada de transmissão vertical.

Saiba mais como prevenir e reconhecer essas arboviroses, como também são conhecidas em nosso artigo!

Como prevenir

As três doenças são transmitidas por um mesmo vetor, o mosquito Aedes aegypti. Para preveni-las verifique sempre recipientes com água parada. E não veja somente os com água limpa, pois já foi comprovado que o mosquito também prolifera na água parada suja. Por isso, sempre deixe piscinas e caixas d’água cobertas, além de verificar pneus, garrafas e pratinhos de plantas após as chuvas.

Os ovos também sobrevivem com a falta de água, por 450 dias, e basta um pouco de acúmulo de água para fazer os ovos eclodirem. Então fique de olho e elimine focos da dengue, zika e chikungunya mesmo na época de estiagem. De acordo com o Ministério da Saúde, pelo Aedes se tratar de um mosquito de áreas urbanas, cerca de 80% de seus criadouros estão dentro das casas.

Utilize repelentes e roupas com mangas compridas e cores claras, principalmente se você estiver no grupo de risco – grávidas, crianças e idosos. Também instale telas e mosquiteiros na janelas e portas. Inseticidas e repelentes naturais, à base de andiroba, óleo de cravo e citronela não têm eficácia comprovada pela Anvisa, portanto é melhor não arriscar.

Sintomas e riscos de cada doença

Embora sejam transmitidas pelas mesmas vias, cada doença tem seus próprios riscos e sintomas. Confira abaixo cada uma delas:

– Dengue

Existem quatro tipos diferentes de dengue. Por isso, ela pode ser assintomática ou se assemelhar a uma gripe, que é a sua forma benigna. A dengue com sinais de alarme é considerada mais preocupante e vem acompanhada de alterações na coagulação sanguínea. A dengue grave costuma ser a mais rara. No entanto, caso ocorra, pode levar o paciente à morte. 

A febre é um sintoma comum a todos os tipos. No entanto, na com sinais de alarme começam a aparecer sinais de hemorragia quando a febre começa a ceder. Na mais grave, o paciente pode ter delírios, derrames, hemorragia digestiva e pode levar o paciente a óbito de 12 a 24 horas.

–  Zika

Essa doença apresenta um risco maior, se comparada às outras arboviroses, como dengue e chikungunya. Ela pode apresentar complicações neurológicas, como encefalites, Síndrome de Guillain Barré e outras mais. A microcefalia é uma das mais preocupantes, por atingir o recém nascido ainda na barriga da mãe.

Manchas vermelhas pelo corpo, olhos vermelhos, febre baixa e dores de pouca intensidade no corpo e nas juntas são alguns de seus sintomas. Por ser facilmente confundida com uma gripe, pode ter cura espontânea depois de 10 dias, mesmo assim é necessário ter cuidado especial com ela, por causa dos riscos neurológicos.

– Chikungunya

Febre, dores de cabeça, dores nas juntas, geralmente bilaterais, ou seja, se for no joelho, doem os dois, o direito e o esquerdo. Outros sintomas são a pele e os olhos avermelhados. Em 30% dos casos, o paciente não desenvolve os sintomas e, quando aparecem, geralmente é de 2 a 12 dias após a picada, no período conhecido como incubação.

A sua maior diferença para com a dengue é esse vírus atacar preferencialmente as articulações. Inclusive o nome chikungunya significa no idioma africano “aqueles que se dobram”. A dor é tão intensa que, mesmo curado da doença, o paciente ainda pode sentir as dores mesmo passados muitos anos.

Como funciona o tratamento

Os sintomas são tratados com antitérmicos e analgésicos. No entanto, são contraindicados os com ácido acetilsalicílico, por causa do risco de hemorragias. Por isso, nunca recorra à automedicação. Além disso, durante o tratamento, hidrate-se bem, para que o corpo consiga se recuperar mais rápido.

Como você viu, a melhor forma de prevenir a dengue, a zika e a chikungunya é combatendo o mosquito e os seus criadouros. E não só na sua casa, faça campanhas com seus vizinhos e todo o bairro, pois um esquecimento deles pode resultar em doenças para você e a sua família. 

No caso de sentir algum dos sintomas já citados, procure o posto de saúde mais perto da sua casa. O SUS também realiza pesquisas e o controle da doenças nos sistemas informatizados, mantendo o governo informado sobre a evolução da dengue, zika e chikungunya no paóis.

Agora que você já sabe como prevenir a dengue, zika e chikungunya, confira a importância de realizar sempre um check-up anual.

Prevenção contra a dengue, zika e chikungunya
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM