Diagnóstico de endometriose: preciso fazer cirurgia?

A endometriose é uma doença que afeta cerca de 10% das mulheres em idade fértil no Brasil. Assim como o câncer de mama, o sucesso do tratamento para endometriose depende de diversos fatores.

A endometriose é uma condição em que se encontra o tecido endometrial fora do útero. O tecido endometrial, por sua vez, é uma parte do endométrio que recobre o útero internamente. O próprio endométrio é responsável pela menstruação, pois se desfaz ao final de cada ciclo.

Geralmente existe um resquício do do tecido endometrial, que é responsável pela nova construção do endométrio. No entanto, quando migra para os ovários ou cavidade pélvica, torna-se uma afecção inflamatória, multiplicando-se e sangrando, o que causa extrema dor.

Para o estágio profundo (endometriose profunda), existem duas possíveis causas. No primeiro momento, pode-se atribuir a doença a uma causa genética. Por outro lado, supõe-se que o sangue chegue as tubas uterinas ao longo da menstruação e à outros órgãos.

Existem diversos tipos de tratamento para endometriose e a escolha por algum depende de avaliação clínica de especialista. Em alguns casos, a endometriose pode levar à infertilidade. Mas essa é uma condição perfeitamente reversível.

Sabemos que em todas as doenças, quanto mais cedo feito o diagnóstico, mas eficiente e rápido é seu tratamento. Por outro lado, alguns estudos apontam que a endometriose pode levar cerca de 7 anos para que tenha um diagnóstico comprovado.

Portanto, o primeiro passo é identificar quais são os sintomas dá endometriose. Sabe quais são? 

Acompanhe a matéria e entenda também sobre o tratamento para endometriose.

Principais sintomas da endometriose

A endometriose é considera uma doença assintomática, podendo levar anos para seu diagnóstico. Porém, existem alguns sintomas dignos de atenção:

  • Dispareunia ou dor durante o sexo;
  • Dismenorreia ou cólica menstrual – aumenta gradativamente com a evolução da doença;
  • Sangramento e dor urinária e intestinal durante a menstruação;
  • Suspeitas de infertilidade.

Você pode estar questionando os sintomas e está certa. Em nossa cultura, a dispareunia e a dismenorreia são tidos como incômodos normais na vida feminina. Mas, aqui fica o nosso alerta: não é normal que se sinta tanta dor e desconforto.

Por isso, o acompanhamento médico e relato ao ginecologista é essencial para diagnosticar quaisquer alterações, doenças e outras condições.

Diagnóstico de endometriose

Existem diversos tipos de exames que analisam o problema. Confira os principais:

Anamnese

A anamnese é uma avaliação do histórico pessoal e familiar da mulher. É essencial que nesse momento a paciente revele ao seu especialista os casos de doenças na família, a evolução dos sintomas que vem apresentando, que medicamentos toma, detalhes sobre seu estilo de vida. 

Além disso, vale destacar se foram feitos tratamentos anteriores.

Exame Ginecológico

O exame ginecológico é uma avaliação do útero, tubas, ovários e ligamentos uterossacrais. A análise visa buscar lesões ou alterações anatômicas.

Exames de imagem e laboratoriais

Após o exame ginecológico, e se identificadas anormalidades, é possível que o especialista requeira exames de imagem para coletar dados mais precisos.

Os exames de imagem mais indicados aqui são a ressonância magnética e o ultrassom transvaginal com foco no diagnóstico de endometriose.

Os exames laboratoriais podem incluir o Ca-125, a biópsia endometrial ou a videolaparoscopia – que também é indicado para o tratamentos para endometriose específicos.

Possíveis tratamentos para endometriose

O tratamento para endometriose é relativo ao estágio da doença. Em alguns casos, apenas o fato de suspender a menstruação com pílulas ou injeções anticoncepcionais já basta.

Por outro lado, existem outros tratamentos para endometriose, como:

  • DANAZOL: hormônio sintético, que auxilia a interrupção da menstruação. Seus efeitos reversos podem incluir pele oleosa, acne e crescimento anormal dos pelos.
  • GnRH: medicamento indicado para endometriose severa. Geralmente é utilizado durante seis meses, pois leva a perda da massa óssea. Alguns de seus efeitos reversos são: mudança de humor, irritabilidade, sudorese noturna, calor excessivo, insônia, névoa mental, náuseas.
  • Enzima de Aromatase: o tratamento bloqueia a enzima do hormônio precursor do estrogênio e tem eficácia temporária. Seus efeitos colaterais incluem a perda óssea e não há tratamento de dores.

Casos cirúrgicos

A cirurgia da endometriose é indicada para remoção em lesões severas. Nos casos em que a mulher já tem filhos e está satisfeita com a quantidade, pode ser feita a remoção do útero e ovários.

O tratamento cirúrgico, ou excisão completa laparoscópica, não é ideal para dor pélvica, mas é indicado para a regressão da doença. Em todo caso, o seu sucesso depende das habilidades cirúrgicas do especialista.

A endometriose é uma doença relativamente comum na população feminina brasileira e seus sintomas nem sempre são de fácil entendimento. Ela também está entre os principais motivos de infertilidade feminina.

Se você suspeita dá doença, a realize o agendamento do seu transvaginal na Clínica CEU e comece seu tratamento para endometriose.

Diagnóstico de endometriose: preciso fazer cirurgia?
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM