Implanon x DIU: qual a melhor opção de implante anticoncepcional?

A pílula anticoncepcional é um dos métodos contraceptivos mais utilizados. No entanto, as mulheres podem contar atualmente com outras alternativas mais eficazes e de baixa manutenção, como o Implanon (Implante Contraceptivo Subdérmico) e o DIU (dispositivo intra-uterino).

Quer saber qual a melhor opção entre eles? Continue a leitura! 

O que é o Implanon?

O Implanon é um dispositivo anticoncepcional de fácil inserção e remoção, que apresenta ação de até 3 anos. Sua eficácia é garantida e maior que a ligadura das trompas uterinas, que o anticoncepcional oral e mesmo que o próprio DIU. 

O dispositivo trata-se de um bastão pequenino com cerca de 2 mm de diâmetro por 4 cm de comprimento, sendo semelhante a um palito de fósforo. Ele libera porções de hormônio em quantidade inferior àquela presente na pílula.

É inserido no antebraço da mulher para liberar continuamente na corrente sanguínea um hormônio derivado da progesterona – o etonogestrel. Esse hormônio bloqueia a ação dos ovários, impedindo-os de liberar os óvulos e também aumenta a hostilidade do muco cervical, que passa a ser mais espesso e, portanto, reduz a motilidade do espermatozoide.

A inserção do Implanon é feita em uma clínica especializada ou consultório médico. O procedimento é realizado com anestesia local, de forma rápida e praticamente indolor.

Para isso, é recomendado que a paciente esteja no período menstrual. Quando aplicado em lactantes, é necessário terminar o puerpério – período de 60 dias após a gravidez. Além disso, é preciso descartar qualquer hipótese de gravidez para a inserção.

O que é o DIU?

O DIU consiste em um dispositivo intrauterino pequeno e flexível inserido pelo médico no interior da cavidade uterina. Assim como o Implanon, é um método anticoncepcional de longo prazo e reversível.

O dispositivo conta com diferentes tipos: o DIU não hormonal, também conhecido como DIU de cobre, e o DIU Mirena, que contém um hormônio derivado da progesterona (levonorgestrel). A eficácia do DIU de cobre é de 99,2% a 99,4%, e esse índice sobe para 99,8% no DIU hormonal. 

O DIU também é um método mais eficaz que a pílula anticoncepcional. Acontece que a eficácia da pílula depende do seu uso correto: todas as pílulas devem ser tomadas no mesmo horário, e nenhuma pode ser esquecida. Se um destes erros acontecer, a eficácia deste método cai de 99,7% para até 91%. 

Quais as vantagens e desvantagens do Implanon e DIU?

Para conseguir escolher o melhor método entre o Implanon e o DIU, é importante conhecer as principais vantagens e também as desvantagens de cada um deles. Confira.

Implanon

O Implanon pode ser usado por mulheres de qualquer idade. Para aquelas que não se adaptam aos métodos contraceptivos tradicionais, esse implante anticoncepcional é altamente recomendado. Entre suas vantagens, estão:

  • Tem alta eficácia na prevenção da gravidez, que começa poucos dias após a inserção do implante;
  • Possui duração de três anos, não precisando que a paciente tenha que se lembrar diariamente de usar algum método;
  • Impede a menstruação, o que é ideal para mulheres que sofrem de fluxos intensos e desconfortos
  • Reduz a tensão pré-menstrual, pois ameniza os hormônios e consequentemente as cólicas;
  • É uma alternativa ao estrógeno, pois muitas mulheres não podem fazer uso anticoncepcionais à base desse hormônio;
  • Não afeta a parte hepática e gástrica do organismo, como algumas pílulas orais que causam vômito e enjoo.

No entanto, assim como todos medicamentos, o Implanon pode apresentar algumas desvantagens em seu uso, como seus efeitos colaterais. Entre eles, a mulher pode presenciar um ligeiro aumento de peso, pele oleosa, acne, aparecimento de manchas na pele, dores de cabeça, alteração de humor e diminuição da libido.

DIU

Entre as vantagens do DIU, podemos apontar que o dispositivo não interfere na fertilidade, visto que, após retirado, a fertilidade é rapidamente restabelecida. As vantagens podem ser divididas entre o DIU de cobre e o hormonal. 

O DIU de cobre, por não possuir hormônios, não diminui o fluxo menstrual, não interfere na libido e não possui efeitos colaterais. Contudo, pode provocar ciclos menstruais mais longos e intensos. E, consequentemente, aumentar os casos de cólicas.

Já o DIU hormonal tem como vantagem a ausência do estrogênio em sua composição, hormônio presente na pílula anticoncepcional e está associado ao risco de trombose. Ele reduz em 90% o fluxo menstrual, e cerca de 50-60% das mulheres que o utilizam param de menstruar. 

Além disso, ele diminui drasticamente a ocorrência de cólicas menstruais. No entanto, apesar da baixa absorção da progesterona, o uso do DIU hormonal pode causar dores nas mamas, agravar casos de acne e aumentar levemente o peso da mulher. 

Qual é a melhor opção?

Tanto o Implanon quanto o DIU são dispositivos seguros, eficazes e com baixa manutenção. Por isso, estão entre os melhores métodos contraceptivos. Contudo, escolher a melhor opção não é uma decisão que deve ser tomada sem um especialista. Afinal, é preciso entender seu corpo e sua rotina para avaliar qual dos métodos é o mais indicado.

Agora você já sabe as vantagens e desvantagens do Implanon e DIU. Se você já escolheu o método mais indicado para seu corpo junto a um médico, procure uma clínica especializada para fazer seu implante com segurança e tranquilidade!

Quer realizar seu implante? Então, solicite seu agendamento em nosso site! Temos um corpo clínico qualificado para realizar o procedimento com segurança e tranquilidade.

Rate this post
Implanon x DIU: qual a melhor opção de implante anticoncepcional?
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM