Resultado da mamografia: como entender melhor o seu?

A mamografia é realizada para a detecção de qualquer alteração em tecidos dessa região, como nódulos, lesões e calcificações. Contudo, interpretar o resultado da mamografia nem sempre é algo simples.

É direito da paciente abrir o exame e conhecer a avaliação obtida. No entanto, para entender o resultado e não se preocupar à toa, é fundamental saber um pouco mais da interpretação. A seguir, veja como entender melhor seu resultado de mamografia!

O que é o exame de mamografia?

A mamografia é um exame diagnóstico realizado por meio do aparelho chamado mamógrafo, com o objetivo de avaliar a saúde das mamas. Durante o exame, são emitidas baixas doses de radiação. Dessa maneira, é possível encontrar malformações ou anormalidades na região mamária. 

Com tecnologia ultra sensível, o exame de mamografia digital é extremamente preciso. Por meio da compressão das mamas, o aparelho obtém imagens que permitem um diagnóstico preciso. Assim, após a realização do procedimento, as imagens podem ser geradas em alta definição para que o resultado seja interpretado da melhor forma por um profissional.

Qual o papel da mamografia na saúde da mulher?

O papel da mamografia é identificar o câncer de mama, assim como outras alterações. Com sua alta tecnologia, o método consegue encontrar nódulos e microcalcificações. 

Além disso, tumores em fase inicial, quando ainda não são perceptíveis nem mesmo ao autoexame preventivo. Outro papel fundamental do exame de mamografia é mostrar as características do nódulo encontrado, seu tipo, tamanho e característica (benigno ou maligno). Dessa forma, contribuindo para um diagnóstico precoce e completo.

Categoria BI-RADS®: o que é isto no resultado da mamografia?

O resultado da mamografia é resumido no BI-RADS® (Breast Imaging Reporting and Data System). Em uma tradução livre, o BI-RADS® é o Sistema de Relatório de Dados sobre Imagem da Mama. 

Esse sistema tem como objetivo estimar a chance da imagem apresentada no resultado da mamografia ser câncer. O BI-RADS® apresenta a porcentagem de chances da lesão identificada ser cancerígena.

 

Por que é utilizado este sistema de classificação radiológica na mamografia? 

A estratégia usada no sistema BI-RADS® ajuda o médico a definir sua conduta. Seja ela com a continuidade da investigação por outros métodos de imagem ou uma biópsia mamária.

O sistema foi inicialmente desenvolvido para categorizar os laudos do resultado da mamografia. Atualmente, o BI-RADS® também é aplicado em exames de ultrassonografia das mamas e de ressonância magnética das mamas. 

O que significa cada categoria no resultado da mamografia?

Considerando que o BI-RADS® apresenta a porcentagem da probabilidade do tecido analisado apresentar células cancerígenas, o sistema é dividido em 6 categorias. Sabia mais sobre elas, a seguir.

BI-RADS® 0

Quando o resultado da mamografia é BI-RADS® 0, o exame foi inconclusivo. Isso pode acontecer por problemas técnicos, como mau posicionamento das mamas e axilas no aparelho, além da movimentação da paciente durante o teste. 

A categoria 0 também é usada quando há dúvidas sobre a existência de alguma alteração. Isso geralmente implica na realização de uma nova mamografia ou outros exames de imagem.

BI-RADS® 1

Na classificação BI-RADS® 1 o exame é normal, sem achados. Nesse caso, o resultado da mamografia não apresenta nenhuma alteração, por isso, não há risco de câncer de mama. Dessa forma, a próxima avaliação mamográfica pode ser feita com intervalo de um ano.

BI-RADS® 2

Neste resultado da mamografia, os achados são benignos. O exame detecta alterações. No entanto, apenas pelo aspecto, o responsável pela mamografia consegue determinar quais são de natureza benigna. Alguns exemplos comuns em casos de BI-RADS® 2 são os cistos simples.

BI-RADS® 3

No resultado da mamografia que apresenta BI-RADS® 3, os achados são provavelmente benignos. Ainda que as lesões possam ter o aspecto benigno, o médico responsável pelo exame não pode ter 100% de certeza.

Dessa forma, a recomendação é repetir o exame em 6 meses, verificando se ocorreram mudanças ou se os achados anteriores permanecem estáveis. De qualquer modo, o risco para câncer de mama em lesões classificadas por BI-RADS® 3 é de 2%.

BI-RADS® 4

Já no BI-RADS®, a suspeita é que exista a presença de lesões cancerígenas. Qual a lesão recebe essa classificação, é solicitada a biópsia, a fim de esclarecer se a natureza é maligna ou benigna. 

Contudo, nem sempre as alterações encontradas são correspondentes a um tumor maligno. Por esse motivo, essa categoria é subdividida em BI-RADS® 4A (risco entre 2% a 10%), BI-RADS® 4B (risco entre 11% e 50%), e BI-RADS® 4C (51% e 95%).

BI-RADS® 5

O resultado da mamografia com BI-RADS® 5 apresenta elevado risco de câncer. Nessa categoria, o médico pode identificar a lesão ou alteração durante o exame. De qualquer forma, com esse resultado, a biópsia é solicitada para confirmar o diagnóstico da doença.

BI-RADS® 6

O BI-RADS® 6 é o resultado com a lesão maligna já identificada. Essa classificação costuma aparecer em laudos de exames de pacientes antes ou durante o tratamento de câncer de mama. Na prática, o BI-RADS® 6 ajuda na identificação da lesão como uma já existente, em que seja contabilizada como um novo caso de câncer. 

A partir das informações obtidas na mamografia, o médico deve analisar a necessidade da realização de exames complementares ou não, mantendo somente o acompanhamento e rastreamento da mamografia no próximo ano. Por isso, mesmo que você saiba como interpretar o resultado da mamografia, é fundamental retornar ao médico.

A mamografia é um dos mais importantes exames de rastreamento de câncer e deve ser realizada por todas as mulheres. Para realizá-la, faça seu agendamento no Espaço Mama da Clínica CEU

3/5 - (1 vote)
Resultado da mamografia: como entender melhor o seu?
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM