MAPA: o que é, indicações e como o exame é feito

A hipertensão é uma doença silenciosa, que afeta diversos grupos de pessoas e pode levar a casos muito graves, como AVCs e infartos fulminantes. Uma das maneiras de diagnosticar e acompanhar a doença é através da Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial – MAPA, um exame simples mas muito poderoso.

Ele é solicitado por cardiologista, o especialista que precisa ser consultado regularmente para avaliar a pressão arterial e a saúde do coração. Neste post, vamos te mostrar tudo sobre o MAPA: o que é, suas indicações e por que o acompanhamento com o cardiologista e o exame são grandes aliados para pessoas com pressão alta. Confira:

O que é o exame MAPA?

MAPA é uma sigla para Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial. Isso significa que o exame é uma forma de aferir a pressão arterial de um paciente, para monitorar oscilações e picos que podem indicar hipertensão.

O exame geralmente é feito durante 24 horas, para que o médico tenha dados da pressão arterial do paciente enquanto dorme e enquanto executa suas tarefas diárias. O MAPA é um exame indolor, que conta com um pequeno aparelho eletrônico automático, que vai fazer várias medições da pressão ao longo do dia. Ele é acoplado à uma braçadeira – também chamada de manguito – que fica presa por velcro no braço do paciente e é inflada pelo aparelho a cada medição.

Normalmente, o braço escolhido para colocar a braçadeira é o não-dominante, para não atrapalhar nas atividades da rotina do paciente. O medidor eletrônico pode ser levado no bolso ou mesmo na cintura, preso por uma fivela no cinto, por exemplo.

Importante: muitas pessoas confundem o MAPA com outro exame, o Holter. O Holter é um exame de monitoramento cardíaco, para avaliar e identificar arritmias, não tem relação alguma com o monitoramento da pressão arterial. Ele funciona como um eletrocardiograma portátil, com eletrodos presos ao peito do paciente e um pequeno monitor digital. De forma semelhante ao MAPA, o Holter também monitora o paciente por 24 horas.

O que o MAPA avalia?

O MAPA vai dar ao médico uma visão completa do comportamento da pressão arterial ao longo de um dia. Esse relatório é fundamental para o diagnóstico correto da hipertensão e da eficácia de medicamentos em pacientes hipertensos.

Algumas pessoas apresentam um quadro chamado de “Hipertensão do Jaleco Branco”, em que a pressão arterial se eleva por nervosismo e ansiedade ao ver um médico ou estar em um consultório. Pode ser que a pessoa não tenha nenhum outro episódio de hipertensão, apenas nessas situações. Medicá-la para hipertensão pode ser perigoso: a medicação causa queda de pressão, e para quem não é hipertenso pode resultar em desmaios e mal estar.

Em outros casos, pessoas hipertensas têm picos de pressão apenas durante o sono, ou quando desempenham uma atividade específica como esforço físico. Tudo isso é essencial para medicar e tratar a hipertensão da forma correta.

E por falar em tratamento, o MAPA também serve para avaliar se a medicação está funcionando como deveria, e se o paciente está seguindo as recomendações médicas. Esses dados ajudam no ajuste de dosagens e na combinação de medicamentos e condutas para evitar alterações.

Como o MAPA é feito?

A braçadeira é colocada no braço do paciente e será inflada automaticamente ao longo das 24 horas, aferindo a pressão e registrando a medição no aparelho, inclusive durante o sono.

Enquanto estiver com o aparelho, o paciente não poderá tomar banho ou usar roupas apertadas, pois a braçadeira não pode ser retirada e qualquer pressão nos braços pode alterar a leitura do medidor.

O exame deve ser feito em um dia normal da vida da pessoa, sem acontecimentos especiais, para que se possa fazer uma avaliação fiel da pressão arterial. Por isso, não é necessário mudar nada na rotina, inclusive o uso de medicamentos, que deve ser mantido. O exame não pode ser feito em dias de festa, viagens ou outros momentos desse tipo.

Não é indicado consumir substâncias estimulantes, como açúcar, cafeína, cigarros e álcool. Elas podem interferir na pressão arterial e mascarar os resultados do exame.

O que observar durante o exame?

Depois de colocado o equipamento o paciente recebe um diário, no qual deve registrar os acontecimentos do dia do exame e como ele se sentiu durante as medições. Por isso, é necessário levar o diário por onde o paciente for, e registrar os horários em que:

    • Tomou medicação;
    • Desempenhou atividade de esforço físico, como subir escadas, andar até o mercado, varrer a casa, dirigir, tomar banho, entre outras;
    • Teve alguma alteração emocional, uma discussão, choro, taquicardia, entre outras;
    • Sentiu alguma dor ou desconforto, como dor de cabeça, na nuca, tontura, entre outras;
    • Realizou refeições;
  • Deitou para dormir.

Com as informações do diário, o médico pode entender melhor os dados do monitoramento da pressão e mapear exatamente quais devem ser os próximos passos no tratamento daquele paciente.

Indicações da Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial

O MAPA é um exame pedido por cardiologistas quando há necessidade de tirar alguma dúvida sobre a pressão arterial. Pode ser que o paciente tenha sintomas de hipertensão, mas no consultório, por estar em repouso, a medição não indica nada ou pode indicar uma pressão elevada por nervosismo.

A hipertensão é uma doença hereditária; assim, pessoas com histórico da doença devem fazer acompanhamento frequente com um cardiologista. Crianças também podem apresentar pressão alta, assim como idosos e pessoas diabéticas. A doença é silenciosa, e costuma apresentar sintomas apenas em níveis muito elevados da pressão. Muitas pessoas podem passar anos da vida com a pressão arterial alterada sem nem se dar conta.

São sintomas possíveis:

    • Dores de cabeça e na nuca;
    • Tontura;
    • Náuseas;
    • Sensação de pele fria;
  • Dores ou incômodo no peito.

Além do histórico familiar, tabagistas e pessoas com colesterol alto também estão nos grupos de risco da hipertensão.

Não acompanhar e tratar a hipertensão pode trazer riscos de vida para os portadores da doença. Em hipertensos não tratados, há forte de risco de AVC e infarto, além de impotência sexual, insuficiência renal, aneurismas e até tromboses.

Por isso, se você tem histórico familiar de hipertensão, apresenta algum sintoma da doença, faz parte dos grupos de risco ou tem mais de 45 anos, deve ir ao cardiologista pelo menos uma vez por ano.

Contraindicações e riscos do MAPA

A Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial é contraindicada para pessoas com distúrbios de movimento, como o mal de Parkinson, pois o aparelho pode não conseguir fazer a medição da pressão com o braço se movendo ou tremendo. Se por algum outro motivo a braçadeira não puder ser ajustada ao braço do paciente, o exame também não poderá ser realizado.

Pessoas com arritmias cardíacas também podem ser desaconselhadas a fazer o MAPA, pois a fibrilação atrial pode atrapalhar no registro da pressão arterial.

O exame não provoca reações adversas, mas apenas algum desconforto para se movimentar e dormir com o aparelho.

Agora que você já sabe tudo sobre o MAPA e o quanto o exame é importante, não deixe de visitar seu cardiologista e fique de olho em todos os sintomas que mostramos por aqui. Informe o seu médico de qualquer alteração que perceber, isso é fundamental para detectar doenças cardíacas.

E quando precisar realizar o seu MAPA, procure a Clínica CEU. Solicite a marcação online do seu exame e conte com a nossa infraestrutura completa de atendimento!

4.7 (93.33%) 3 vote[s]
MAPA: o que é, indicações e como o exame é feito
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM