Para que serve o exame de densitometria óssea

A osteoporose é uma doença degenerativa, que se caracteriza pelo desgaste dos ossos e pode atingir tanto homens quanto mulheres. A partir da menopausa feminina, que ocorre a partir dos 45 anos, os níveis de estrógeno diminuem, o que permite o desgaste rápido das células dos ossos.

No corpo humano, o tecido ósseo se desgasta com o passar do tempo. Os osteoclastos são responsáveis pela sua destruição. Os osteoblastos, outros tipos de células, vão reconstruindo os ossos. Com o passar dos anos, o corpo não consegue reconstruir as células dos ossos na mesma velocidade em que são destruídas. Esse quadro é conhecido como osteoporose.

Por ser uma doença silenciosa, é necessário exames periódicos, nas mulheres logo após a menopausa, ou a partir dos 40 anos, e nos homens a partir dos 65 anos. No entanto, algumas anomalias podem acelerar o aparecimento da osteoporose, como hipertireoidismo, acromegalia e doenças renais.

A seguir, conheça um dos exames mais recomendados para a detecção da osteoporose, a densitometria óssea. Geralmente ela é mais indicada para idosos, mas pode ser feita pelas mais diferentes faixas etárias.

Para que serve o exame de densitometria óssea

O exame de densitometria óssea identifica a falta de cálcio nos ossos e a densidade de mineralização neles. De acordo com valores de tabelas de referência, considerando gênero e idade, o exame mostra se o paciente está com osteoporose ou alguma outra doença óssea. O resultado é rápido e, na maioria das vezes, fica pronto no mesmo dia.

Indicações da densitometria óssea

O exame de densitometria óssea é indicado para homens e mulheres, idosos ou mais jovens. Para o pedido são considerados alguns fatores, tais como: baixo peso, fraturas recentes, doenças e medicações que aumentam o risco de osteoporose, monitoramentos de osteoporose já diagnosticadas ou tratamentos já iniciados.

Em alguns casos, pediatras podem pedir exames de densitometria óssea, para acompanhar o desenvolvimento da criança ou adolescente. Até os 20 anos, são examinados os campos da coluna e o corpo inteiro, já que o fêmur está em crescimento e não é avaliado. Dessa forma, o médico observa a massa óssea, a massa magra e a massa de gordura que o paciente tem.

Contraindicações

O exame de densitometria óssea apresenta poucas doses de radiação, tanto que o técnico responsável não precisa usar jaleco de proteção. No entanto, as gestantes devem evitar fazer esse exame, mesmo com as baixas doses de radiação. Outras pessoas que não devem realizar a densitometria óssea são as que fizeram cirurgia ortopédica ou têm prótese extensa. Caso seja para avaliação, é feito o exame em outro membro, para que seja feita a comparação pelo médico responsável.

Pessoas que fizeram contraste com iodo ou bário devem evitar fazer o exame de densitometria óssea. Isso se deve à interferência dessas substâncias no resultado. Por isso o paciente deve aguardar cerca de 15 dias até eles serem eliminados pelo corpo. Outros exames de radiação, como a cintilografia devem ter o seu período de eliminação determinado pelo médico. Além disso, o aparelho somente suporta pacientes com até 140 quilos.

Preparo para a densitometria óssea

Antes de fazer o exame de densitometria óssea, é fundamental não fazer uso de cálcio um dia antes do exame e chegar 20 minutos antes do horário marcado, para evitar imprevistos. Leve também exames anteriores, para comparação. Roupas livres de metais, como zíper, botões e presilhas são recomendadas para maior agilidade do exame.

Como funciona o exame de densitometria óssea

No momento do exame, o técnico irá orientá-lo a trocar a sua roupa por uma mais simples, própria para exames radiológicos. Depois disso, você vai se deitar em uma mesa acolchoada e seus pés serão posicionados em uma plataforma de esponja, para que a coluna e a pelve fiquem alinhadas. Isso é feito para que o laser do aparelho passe em zigue zague nos órgãos que serão analisados de forma correta.

No exame de densitometria óssea são examinadas duas estruturas ósseas diferentes, como o quadril e a coluna vertebral, pelo menos. No caso das crianças, são objeto do exame a coluna vertebral e o corpo inteiro. O exame não causa dor. Caso você já tenha dor nas articulações, elas podem incomodar devido à imobilidade durante a densitometria óssea. O exame é rápido e pode durar de 5 a 15 minutos. O resultado é imediato.

Possíveis diagnósticos

O exame de densitometria óssea serve para calcular a densidade do osso e, a partir dele, se a pessoa está com osteopenia ou osteoporose, bem como o seu risco de fratura. Os ossos são comparados com o de uma pessoa jovem e saudável e mostram a análise com a média normal.

Depois disso é calculado o T-score, padrão internacional de referência desenvolvido pela OMS. Ele inicia do número zero, que é a média e vai para números negativos e positivos. Quanto mais negativo, mais distante do padrão ideal está a sua massa óssea.

Dessa forma, sempre fique atento à sua saúde, independente da idade. A densitometria óssea deve ser realizada anualmente. Por isso, sempre consulte regularmente o seu médico e, caso ele se esqueça desse exame, peça. Lembre-se que a osteoporose é uma doença silenciosa e é sempre melhor prevenir do que remediar.

Agora que você já sabe tudo sobre o exame de densitometria óssea, o que está esperando? Marque agora mesmo o seu exame na Clínica CEU! O resultado é imediato e a marcação pode ser feita pelo site! Solicite seu horário aqui!

Para que serve o exame de densitometria óssea
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM