Perfusão cerebral: como a cintilografia ajuda na detecção de doenças

A cintilografia de perfusão cerebral é um exame de imagem que avalia o fluxo sanguíneo e a função cerebral. Seguro e rápido, esse procedimento auxilia no diagnóstico e acompanhamento de doenças como Alzheimer, Parkinson, depressão e até mesmo ansiedade. 

Devido à sua importância no diagnóstico e análise da evolução do tratamento de algumas doenças, vamos explicar um pouco mais sobre esse exame na leitura a seguir. Continue conosco para conferir o que é perfusão cerebral, quando a cintilografia é indicada, e como o exame ocorre!

O que é perfusão cerebral?

A perfusão cerebral consiste no fluxo sanguíneo que vai até o cérebro para fornecer oxigênio e nutrientes essenciais para seu funcionamento. Quando a perfusão é comprometida, danos cerebrais podem ocorrer resultando em sequelas ou mesmo na morte do indivíduo.

Frequentemente, avalia-se a perfusão cerebral por meio de técnicas como a PET (tomografia por emissão de prótons), cintilografia ou a ressonância magnética funcional. Tais técnicas permitem aos médicos estudar o fluxo sanguíneo cerebral, identificando áreas de menor perfusão que indicam problemas para a saúde.

O que é a cintilografia de perfusão cerebral e quando o médico indica esse exame?

A cintilografia de perfusão cerebral, também chamada de SPECT, é um exame de imagem da medicina nuclear com importantes indicações para a avaliação de do fluxo sanguíneo cerebral. A cintilografia consiste na introdução de um radiofármaco lipossolúvel na corrente sanguínea do paciente.

Capaz de atravessar a barreira hematoencefálica, responsável pela proteção do cérebro, a substância concentrando-se dentro dos neurônios. Assim, reflete de forma indireta no metabolismo cerebral. Atualmente, são diversas indicações para a cintilografia de perfusão cerebral:

  • avaliação de lesões inflamatórias (encefalite herpética, encefalopatia associada ao HIV e lúpus eritematoso sistêmico);
  • investigação de doenças psíquicas (síndromes depressivas, transtornos obsessivos-compulsivos, esquizofrenia);
  • diagnóstico precoce, planejamento, controle e avaliação do prognóstico de doenças cardiovasculares;
  • avaliação de lesões traumáticas (hematomas subdurais, abscesso, malformação vascular);
  • diagnóstico diferencial para demências (vascular e Alzheimer);
  • identificação de danos cerebrais por uso de drogas ilícitas;
  • diagnóstico da doença de Parkinson;
  • localização do foco de epilepsia;
  • avaliação de tumores cerebrais;
  • confirmação de morte cerebral.

Como é feito esse exame?

O exame de cintilografia de perfusão cerebral visa avaliar a função e metabolismo do cérebro. Desse modo, durante sua realização, o paciente deve manter-se previamente em repouso em um ambiente com pouco estímulo visual e auditivo. 

Além disso, realiza-se a punção de acesso venoso para a injeção do radiofármaco. O processo ocorre 15 minutos após o paciente iniciar o repouso. Quando acontece a introdução da substância, o tempo para a obtenção de imagens por meio da concentração do material na região cerebral é de 30 a 45 minutos. 

Após esse período, realiza-se a cintilografia de perfusão cerebral. Assim, o paciente deve manter-se com apoio especial de cabeça e bandagens, evitando sua movimentação. Dessa forma, é possível impedir que movimentos possam prejudicar a qualidade das imagens.

O aparelho responsável pelo o exame realiza uma trajetória circular de 360º próximo ao crânio do paciente. Portanto, é importante evitar também movimentações com o tronco, garantindo a qualidade do exame e evitando a necessidade de repetição.

Preparo

O preparo para a cintilografia de perfusão cerebral não exige grandes cuidados. Não é necessário jejum para o exame. Além disso, caso o paciente faça uso de medicações para problemas neurológicos, ansiedade ou depressão, é importante informar o médico responsável pelo procedimento. Da mesma forma, indica-se o uso de roupas confortáveis, evitando peças metálicas e adornos como anéis e brincos.

Contraindicação

O exame para avaliação da perfusão cerebral é contraindicado somente para mulheres gestantes, com suspeita de gestação e lactantes, ou seja, que estejam amamentando. Isso porque, a cintilografia exige a introdução do medicamento radiofármaco na corrente sanguínea.

A cintilografia de perfusão cerebral é um importante exame de diagnóstico que permite identificar, avaliar e acompanhar a evolução no tratamento de doenças que podem comprometer a vida do indivíduo. Por esse motivo, é um procedimento que deve ser realizado por profissionais capacitados, em clínicas especializadas.

Estas informações foram úteis? Confira também onde fazer cintilografia em BH!

Rate this post
Perfusão cerebral: como a cintilografia ajuda na detecção de doenças
Clínica Céu

LEIA TAMBÉM