Cintilografia de perfusão miocárdica em estresse: o que é e quando o exame é feito?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares são, atualmente, as principais causas de morte no mundo. Exames que contribuem para o diagnóstico precoce, como a cintilografia de perfusão miocárdica, são essenciais para evitar agravamentos e fatalidades. Por isso, neste post, conheça mais sobre esse exame, quando e como ele é feito. Continue conosco para saber o que é a cintilografia de perfusão miocárdica.

O que é a cintilografia de perfusão miocárdica?

A cintilografia de perfusão miocárdica, também conhecida como cintilografia do miocárdio, é um exame fisiológico de imagem do coração. Esse teste de imagem não é invasivo, e auxilia na avaliação da perfusão do músculo cardíaco. Ou seja, quanto de sangue o corpo fornece ao coração.

Na cintilografia de perfusão miocárdica o médico avalia o fluxo cardíaco em duas fases: durante estresse e em repouso. A etapa de estresse é feita com o paciente em movimento, exercitando-se em uma esteira ou bicicleta ergométrica. Já na fase de repouso, a avaliação é feita com o indivíduo em repouso.

Desse modo, as imagens da cintilografia podem identificar:

  • áreas do coração que não recebem fluxo sanguíneo suficiente;
  • a capacidade de bombeamento do músculo cardíaco;
  • bloqueio em alguma artéria;
  • presença de células mortas, ou cicatrizes, de um problema cardíaco anterior.

De acordo com os resultados, o cardiologista poderá agir de forma adequada, indicando o melhor tratamento após a realização do exame. Quando a cintilografia de perfusão miocárdica tem resultado normal, o médico pode descartar certas causas e iniciar a investigação de outras relacionadas aos sintomas e histórico do paciente.

Quando o exame é indicado?

A cintilografia é indicada quando o médico precisa avaliar a circulação sanguínea no coração. O exame tem alta sensibilidade e especificidade no diagnóstico da isquemia miocárdica, condição em que o órgão cardíaco não recebe fluxo suficiente. Além disso, é feito em pacientes em suspeita de doença arterial coronariana.

Assim, a cintilografia de perfusão miocárdica ajuda o profissional a tomar a conduta adequada, evitando o agravamento de eventos, como o infarto, por exemplo.

 O exame auxilia ao médico solicitante a tomar uma melhor conduta para prevenir a ocorrência de eventos cardíacos graves, como o infarto agudo do miocárdio.

Dessa forma, também é feito para:

  • investigar causas de dores no peito;
  • diagnosticar doença arterial coronariana;
  • avaliar prejuízos no músculo cardíaco após um infarto;
  • verificar o fluxo sanguíneo após a revascularização do miocárdio, colocação de stent e angioplastia (procedimentos realizados para aumentar o fluxo cardíaco).

Como a cintilografia do miocárdio é feita?

A perfusão de miocárdio é feita em duas etapas: a fase de estresse e a fase de descanso, permitindo que o médico possa comparar o fluxo sanguíneo em ambos momentos. Atualmente, o exame conta com diferentes protocolos que variam de uma instituição para outra. A seguir, acompanhe como é feito o exame.

Preparo 

Para fazer a cintilografia de perfusão miocárdica, o paciente deve evitar ingerir bebidas com cafeína, como chás, café e refrigerantes, nas 24 horas que antecedem o exame. Além disso, é preciso fazer jejum de 4 a 6 horas, ingerindo alimentos leves na véspera. Além disso, o paciente deve usar roupas e sapatos que sejam confortáveis e adequados para exercícios.

Etapa de repouso

Ao chegar à clínica de diagnósticos, o paciente vai ser puncionado para a instalação de um acesso venoso, por onde receberá a infusão de contraste, substância radioativa que facilita a visualização de imagens. Contudo, em casos de alergia, o exame pode ser feito sem o material.

É orientado que o paciente aguarde 40 minutos para que o fármaco se concentre na região analisada no exame: o coração. Durante esse período, o indivíduo deve fazer caminhada leve e ingerir água, de modo a otimizar a distribuição da substância.

Após esse tempo, o paciente é encaminhado para a sala onde deverá se deitar de barriga para cima, com braços esticados acima da cabeça, mantendo-se imóvel para que o médico realize a avaliação.

Etapa de estresse

Já na fase da cintilografia de perfusão miocárdica em estresse, o paciente deve fazer exercícios que contribuam para o estímulo cardíaco, como esteira e bicicleta. A aplicação de medicamentos estressores, que aumentam o fluxo de sangue, também pode ser feita para provocar estresse.

Após a administração do agente estressor, é injetado contraste no paciente, que deverá seguir as mesmas orientações da etapa de repouso. Por fim, após esse intervalo, as imagens são feitas.

No post de hoje você conferiu o que é a cintilografia de perfusão miocárdica, exame fundamental para identificar problemas relacionados ao fluxo sanguíneo. Além disso, acompanhou quando o exame deve ser indicado, e como o teste é feito em suas duas etapas.

Gostou deste conteúdo? Então, veja também 5 cuidados essenciais para evitar enfermidades do coração!

4.7/5 - (74 votes)
Cintilografia de perfusão miocárdica em estresse: o que é e quando o exame é feito?
Clínica Céu

LEIA TAMBÉM