Alimentação na gravidez: 3 dicas importantes para uma gestação saudável

A gestação é o período que traz diversas mudanças na vida da mulher. Por isso, algumas recomendações são feitas para que a gestante possa se manter saudável durante essa fase. A mais importante delas é a alimentação na gravidez. 

Manter uma alimentação equilibrada é fundamental para que a gestante possa evitar doenças comuns na gravidez, aumente seu peso de forma adequada e garanta nutrientes para o desenvolvimento saudável de seu bebê. Segundo o periódico de Terapia Nutricional na Gestação desenvolvido pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), a má alimentação na gravidez pode gerar riscos de morte neonatal e parto prematuro. 

Os alimentos mais indicados para que a mulher tenha uma gestação saudável são os naturais. Ou seja, devido à grande quantidade de vitaminas, proteínas e outras substâncias essenciais para o funcionamento do metabolismo e desenvolvimento do bebê.

Continue a leitura conosco para entender a importância de ter uma boa alimentação na gravidez, conferindo 3 dicas importantes para ter saúde durante este período!

A importância da alimentação na gravidez

A boa alimentação na gravidez contribui para o controle de ganho de peso materno durante o período. Assim, prevenindo a ocorrência de doenças que podem estar relacionadas, como o diabetes gestacional e a pré-eclâmpsia. 

Dessa forma, manter uma dieta equilibrada ajuda no desenvolvimento do bebê e contribui para que a mãe tenha uma gestação tranquila. Além disso, alimentos corretos asseguram que a mulher tenha reservas biológicas necessárias também para a fase pós-parto. Consequentemente, favorecendo a alimentação do bebê e contribuindo para melhorar seu sistema imunológico.

3 dicas importantes para uma gestação saudável

Pesquisas recentes apontam que alguns dos problemas mais comuns entre os adultos, como diabetes, doenças cardíacas e obesidade, podem ter origem ainda no útero da mãe. Isso porque, entre a 28ª e a 40ª semana de gestação, o bebê tem crescimento de 350%. 

O aumento da glicose na corrente sanguínea da gestante relaciona-se ao aumento da circunferência abdominal do bebê. Dessa forma, quando o consumo de açúcar e carboidratos na gestação é elevado, o bebê pode nascer com predisposição para desenvolvimento de obesidade, diabetes e doenças do coração.

Confira 3 dicas importantes para evitar que isso aconteça. 

1. Alimentos que devem ser consumidos na gravidez

A alimentação na gravidez deve ser rica em cereais integrais, frutas, verduras, legumes, leites e derivados, além de carnes brancas e magras. É muito importante que a mulher prepare seus alimentos grelhados ou no vapor. Dessa maneira, evitando a ingestão de alimentos processados, frituras e alimentos crus.

Entre os alimentos que devem ser consumidos na gravidez para aumentar a oferta de vitaminas e minerais para a mãe e bebê, estão:

  • Cenoura, abóbora, leite, iogurte, ovos, brócolis e pimentão amarelo, ricos em vitamina A;
  • Produtos lácteos e alimentos fortificados com vitamina B12;
  • Abacate, azeite de oliva extra virgem, frutas secas, nozes, chia e semente de linhaça, para aumentar a concentração de ômega 3;
  • Vegetais escuros, gergelim, frutas secas e leite para obter cálcio;
  • Feijão, amendoim, castanhas de caju e do Pará, ricas em zinco;
  • Couve, espinafre, tomate e brócolis, para aumentar a ingestão de ácido fólico.

2. Alimentos não indicados na gestação

Durante a gestação, alguns alimentos também devem ser evitados. Isto é, seja por conter toxinas que podem afetar o bebê ou pelo risco de bactérias que podem enfraquecer o sistema imunológico, causando danos ao bebê.

A grande maioria dos médicos aconselha que a alimentação na gravidez exclua frituras, queijos maduros, vegetais não lavados, peixes com alto teor de mercúrio, adoçantes artificiais e alimentos crus.

3. Alimentos proibidos para gestantes

Além dos alimentos não indicados para a mulher que está grávida, alguns são proibidos. Uma vez que podem causar grandes danos à mãe e bebê.

Entre eles está a ingestão de carnes, peixes, ovos e mariscos crus, pelo risco de intoxicação alimentar e também de toxoplasmose, e também a ingestão de bebidas alcoólicas. 

Quais as vantagens de priorizar uma alimentação equilibrada na gravidez?

Com a alimentação adequada, a mãe fornece durante sua gestação os nutrientes necessários para o desenvolvimento eficaz do feto e reservar energia para a amamentação. Assim, ofertando também as substâncias adequadas para que o bebê cresça fortalecido.

Priorizar uma boa alimentação na gravidez é uma excelente forma de ajudar a mulher a desenvolver novos hábitos alimentares que podem permanecer após o parto. Dessa forma, proporcionando qualidade de vida para mãe e oportunidade de introduzir uma alimentação equilibrada na vida do bebê desde cedo.

Conclusão

Você pôde conferir na leitura de hoje a importância de ter uma boa alimentação na gravidez, evitando consequências negativas para a saúde da mãe e do bebê durante este período. Por isso, para manter sua saúde e a de seu filho, tenha uma dieta equilibrada e não deixe de realizar o acompanhamento pré-natal durante a gestação!

Quer saber mais sobre a importância da alimentação na vida do bebê? Então, confira os benefícios da amamentação!

Alimentação na gravidez: 3 dicas importantes para uma gestação saudável
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM