Terceiro trimestre de gestação: quais exames fazer

O terceiro trimestre de gestação é a última etapa para mãe e bebê se prepararem para uma nova vida. Crescendo a cada dia, o bebê já consegue perceber o que acontece do lado de fora da barriga, reagindo a sons, vozes e toques. A gestante já deixa uma mala pronta, com as roupinhas, fraldas e todos os itens que serão utilizados durante a estadia na maternidade.

Com o fim da gravidez se aproximando, o momento é de ansiedade e também de maior cuidado. É hora de manter a calma para que tudo ocorra da melhor forma, mesmo se houver imprevistos. As consultas e exames do pré-natal continuam sendo essenciais.

Confira a seguir os exames e condutas médicas mais comuns nesse período e algumas outras informações sobre o terceiro trimestre de uma gravidez.

Terceiro trimestre de gestação

Quando a gravidez entra no terceiro trimestre, a espera e a ansiedade tomam conta dos pais e familiares. Falta pouco para a chegada do bebê, todos querem conhecê-lo e saber com quem ele se parece, como vai se comportar e como será a nova rotina da família com o filho ou filha.

Para a gestante, o período é de intensidade: a barriga pesa, as costas doem, o inchaço incomoda, as câimbras e a falta de ar são comuns e dormir é um desafio. O bebê cresce e engorda muito nessa fase, quando começa a acumular gordura e a ganhar feições de recém-nascido. Por isso, os movimentos também parecem mais incômodos do que antes.

Nessa fase, as consultas com o obstetra são mais focadas na preparação para o parto e no acompanhamento do bebê. As estruturas mais importantes já estão todas formadas e agora é só uma questão de tempo para o nascimento.

O obstetra pode prescrever alguns exercícios para a gestante, como os exercícios de Kegel, que ajudam a fortalecer a musculatura interna da vagina. Dessa forma, a saída do bebê é mais fácil em um parto natural, além da mãe conseguir reduzir os riscos de incontinência urinária pós-parto.

Veja abaixo os exames que devem ser realizados na última fase da gestação, bem como alguns que já foram feitos nos trimestres anteriores e que podem ser repetidos.  

Exames físicos

Assim como no primeiro e no segundo trimestres, o acompanhamento da pressão arterial da gestante é de extrema importância. A partir da 20ª semana, o risco de hipertensão gestacional é grande. No terceiro trimestre de gestação, a preocupação maior é com o parto prematuro, a pré-eclâmpsia e a eclâmpsia.

O obstetra também vai ouvir a gestante nas consultas, oferecendo maneiras de atenuar os desconfortos e avaliando os sintomas relatados. A medição da altura do útero, da circunferência da barriga e a pesagem da gestante são realizadas. No último trimestre o bebê ganha peso efetivamente, passando de uma média de 1kg na 28ª semana para até mais de 3kg após as 40 semanas, então é normal que a mãe engorde um pouco mais nessa fase. 

A partir da 35ª semana o obstetra já pode realizar o exame de toque, para avaliar a posição do bebê para o parto e o início da dilatação no colo do útero.

Exames laboratoriais

Além dos exames físicos, o médico também deve solicitar alguns exames de laboratório, como o hemograma de rotina e o exame de urina. Podem ser repetidos, se necessário, os exames de hepatite B e C, toxoplasmose e doenças como a sífilis e o HIV.

Outro exame comum por volta da 35ª semana é o da bactéria Streptococcus B, um microrganismo comum no trato reprodutivo da mulher, porém pode causar infecções graves como pneumonia e meningite caso entre em contato com o bebê durante o parto. O médico colhe material do canal vaginal e envia as amostras para análise em laboratório. Em caso de resultado positivo, a gestante pode ter que tomar antibióticos.

Exames de imagem

O ultrassom é um dos companheiros fiéis das gestantes no terceiro trimestre de gestação. Além do exame realizado muitas vezes no próprio consultório para checar o estado do bebê naquela semana, os obstetras podem solicitar outras ultrassonografias:

  • Ultrassom morfológico: feita entre a 28ª e a 32ª semana, avalia cada parte do corpo do bebê, e pode ser feito com Doppler, para analisar o fluxo sanguíneo e o cordão umbilical. Em gestações de gêmeos, o ultrassom morfológico também atesta que os bebês estão com pesos semelhantes;
  • Monitoramento do batimento cardíaco: após a 20ª semana o exame já identifica malformações ou anomalias no funcionamento do coração do bebê, e também é feito durante o trabalho de parto;
  • Perfil biofísico fetal: chamado de PBF, o exame avalia os movimentos do bebê (respiração, movimentos corporais e batimentos cardíacos). É importante para atestar o funcionamento do sistema nervoso, além do nível de oxigenação.

Os ultrassons ajudam ainda a verificar a condição da placenta e a monitorar a quantidade de líquido amniótico, parâmetros muito importantes para prevenir sofrimento fetal e um parto prematuro.

Cardiotocografia

Na reta final da gravidez, a gestante deve se submeter a uma cardiotocografia, método biofísico não invasivo de avaliação do bem estar fetal. Para essa avaliação ser feita, cintos elásticos com sensores são colocados na barriga, monitorando os batimentos cardíacos do bebê e a intensidade e frequência das contrações do útero. Esse exame é muito utilizado durante o trabalho de parto, para avaliar o bem-estar do bebê enquanto o nascimento não acontece.

As chamadas contrações de Braxton Hicks, ou contrações de treinamento, começam a surgir a partir da 20ª semana. Elas são de baixa intensidade, não causam dor e duram menos de 1 minuto. À medida que o parto se aproxima, por volta da 37ª semana, a gestante começará a sentir contrações mais intensas.

Porém, só é indicado ir ao hospital quando as contrações vierem acompanhadas de dor forte, e aconteceram ritmadas e com frequência. As contrações de parto duram pouco mais de 1 minuto, e aparecem em intervalos de 20 minutos, que aos poucos se reduzem para 15 minutos, 10 minutos e 5 minutos, o momento ideal para ir ao hospital.

Em uma gestação sem intercorrências e riscos, o segredo para seguir tranquilamente para o parto é realizar o acompanhamento pré-natal completo, atentando para as recomendações médicas e cumprindo toda a agenda de exames.

Para as ultrassonografias obstétricas, conte com a estrutura e expertise da Clínica CEU e agende seu exame online!

Terceiro trimestre de gestação: quais exames fazer
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM