DIU Mirena x DIU de cobre: o que são e quais são as suas diferenças?

O DIU, dispositivo intrauterino, é o método contraceptivo considerado um dos mais seguros e eficazes para evitar uma gestação. Atualmente, os principais tipos utilizados são o DIU Mirena (hormonal) e o DIU de cobre.

Pequeno e flexível, o dispositivo pode ter formatos como um T ou Y.  E, ao ser inserido no útero, libera substâncias, que tornam o órgão um local hostil para espermatozoide. Assim, impedindo que a fecundação do óvulo aconteça. 

Quer saber mais sobre o DIU Mirena e o DIU de cobre. Então, acompanhe o artigo que desenvolvemos para você e aproveite para conhecer também as diferenças entre cada um deles!

DIU Mirena

O DIU Mirena também é conhecido como sistema intrauterino (ou SIU). Trata-se de um modelo de dispositivo que realiza a liberação do hormônio progesterona. O Mirena é responsável por prevenir a gravidez de duas formas: impedindo a liberação do óvulo. Assim, tornando o muco cervical mais espesso e impedindo a subida de espermatozoides.

Vantagens

Entre as vantagens de escolher o DIU Mirena, está a tendência na redução da intensidade do fluxo menstrual. Além disso, esse tipo de dispositivo auxilia no controle e diminuição de cólicas menstruais.

Ou seja, principalmente, em mulheres com dismenorreia moderada à grave (cólicas intensas antes ou durante a menstruação). Por sua ação hormonal, o DIU Mirena reduz o fluxo menstrual em até 90%. Além disso, cerca de 50% a 60% das mulheres param de menstruar.

Desvantagens do DIU Mirena

Contudo, apesar da baixa absorção da progesterona, o uso do DIU Mirena pode causar dores nas mamas, agravar casos de acne e aumentar levemente o peso da mulher. Seu prazo de validade também pode ser uma desvantagem se comparado ao DIU de cobre. Pois, a versão hormonal deve ser trocada com cinco anos.

DIU de Cobre

Diferente do DIU Mirena, o modelo de dispositivo de cobre não envolve o uso de hormônio. Sua ação se dá por meio de ionização, em que o cobre cria um ambiente hostil para a sobrevivência do espermatozoide. Dessa forma, impedindo que aconteça seu encontro com o óvulo e resulte em um possível fecundação. 

Vantagens

Superior ao hormonal, o DIU de cobre pode ser mantido no útero por até 10 anos. Além disso, por não envolver o uso de hormônios, a versão envolve menos efeitos colaterais e seu valor é mais baixo.

Desvantagens

Contudo, assim como o DIU Mirena, o dispositivo de cobre apresenta desvantagens. A principal delas é a possibilidade de provocar ciclos menstruais mais longos e intensos. E, consequentemente, aumentar os casos de cólicas.

Existe um modelo ideal?

Entre o DIU Mirena e o DIU de cobre, a versão ideal será aquela que o médico recomendar para sua paciente, com sua decisão baseada em sua própria escolha. Além disso, por não se tratar de um sistema que depende da ingestão diária de comprimidos ou aplicações mensais, o DIU é a melhor forma para evitar a gravidez indesejada, de maior duração e menores efeitos colaterais.

O DIU é mais eficaz que outros métodos?

De acordo com uma pesquisa realizada na Universidade de Princeton, podemos afirmar que o DIU é o método contraceptivo mais eficaz. Afinal, no estudo, o índice de falha apresentado em relação ao DIU foi de 0,2 a 0,8%. Ou seja, enquanto o índice de falha da pílula anticoncepcional foi de 9% e de preservativos, 20% de falhas.

Dessa forma, é seguro afirmar que o DIU Mirena ou DIU de cobre são os métodos com menores índices de falha na utilização, comparando-o com pílulas, injeções, adesivos e contraceptivos.

O uso do DIU pode afetar a fertilidade?

Por se tratar de um método que pode ser interrompido a qualquer momento, desde que exista o desejo da mulher para isso. Assim, o uso do DIU é totalmente reversível. Ao ser retirado do útero, o retorno da fertilidade preexistente acontece de imediato ou logo após a retirada, independente do período em que o método foi utilizado. 

Por isso, caso a mulher que tenha feito a inserção de DIU não tenha outros fatores clínicos que podem dificultar sua gravides, o dispositivo não será responsável por alterações na fertilidade, permitindo que ela engravide após a primeira menstruação.

Agora você já conhece as diferenças entre o DIU Mirena e DIU de cobre. É preciso lembrar que cada mulher tem necessidades individuais. Além disso, somente o acompanhamento com um ginecologista permitirá escolher qual destes dois tipos poderá se adaptar melhor a seu corpo e sua rotina.

Por isso, mantenha suas consultas em dia, realize exames preventivos e leve a discussão sobre a melhor opção até seu médico!

Não sabe qual clínica procurar para um procedimento como este? Confira então, onde colocar DIU em BH!

DIU Mirena x DIU de cobre: o que são e quais são as suas diferenças?
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM