Sintomas de linfomas: o que você não pode deixar de saber

Segundo informação da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), cerca de 70% da população mundial não conhecem os sintomas de linfomas nem sabem o que são estes tipos de câncer

Para conscientizar sobre a importância da identificação dos sintomas de linfomas e sua prevenção, no último 15 de setembro é comemorado o Dia Internacional de Conscientização sobre Linfomas. 

Os linfomas acometem o sistema linfático ou imunológico e são comuns em pessoas entre 15 e 30 anos, assim como em pessoas acima dos 60 anos. A seguir, veja o que você precisa saber sobre os linfomas.

O que é o Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas? 

O dia 15 de setembro é conhecido mundialmente como Dia Internacional de Conscientização sobre Linfomas. O principal objetivo da data é alertar a população sobre a importância do diagnóstico precoce dos sintomas de linfoma. Assim, facilitando um tratamento adequado.

Como surgiu a campanha? 

A campanha que envolve o Dia Internacional de Conscientização sobre Linfomas surgiu pela Coalização Linfoma, organização internacional que se dedica à prevenção e diagnóstico precoce desse câncer. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), os linfomas são responsáveis por cerca de 4 mil mortes todos os anos no Brasil. 

O que são linfomas?

Os linfomas são tipos de câncer que atacam o sistema linfático, composto por órgãos, vasos, tecidos linfáticos e pelos linfonodos, que se distribuem em posições estratégicas do corpo para ajudar na defesa contra infecções e responsável por ajudar a combatê-las.

O sistema linfático produz e transporta as células que combatem as infecções e participam do sistema imunológico, chamadas glóbulos brancos. O linfoma se forma quando as células normais do sistema linfático sofrem mutações e, com isso, acabam se multiplicando sem parar.

Os linfomas são divididos em 2 tipos: 

  1. linfoma de Hodgkin (LH)
  2. linfoma não-Hodgkin (LNH). 

Os sinais de comportamento e grau de agressividade se diferem entre eles, sendo sua principal diferença nas células doentes. 

O Linfoma de Hodgkin tem como característica a presença em células grandes, que podem ser identificadas facilmente no linfonodo acometido, enquanto o Linfoma não-Hodgkin não apresenta tipo celular característico.

Linfoma de Hodgkin

O surgimento do linfoma de Hodgkin ainda é desconhecido. Contudo, a é uma doença adquirida e não-hereditária. Cerca de 20% dos casos de Linfoma de Hodgkin podem acometer pessoas de qualquer idade. No entanto, jovens entre 25 a 30 anos são os que mais recebem o diagnóstico.

Linfoma não-Hodgkin

O Linfoma não-Hodgkin é um grupo com mais de 80 tipos distintos da doença. Após feito o diagnóstico, o linfoma é classificado conforme o tipo e estágio em que se encontra. 

Agrupados conforme a categoria de célula linfoide afetada, para sua classificação também são avaliados o tamanho, a forma e o padrão de apresentação, visto ao microscópio. Essas informações são fundamentais para selecionar de maneira adequada a melhor conduta para o tratamento. 

O Linfoma não-Hodgkin pode surgir em diferentes partes do corpo, representando 80% dos casos de linfoma. Esse tipo de linfoma pode atingir linfonodos e órgãos fora do sistema linfático, como os do trato gastrointestinal, pele, fígado, ossos, tireoide, pulmão, mamas, sistema nervoso central e medula óssea.

Qual os sintomas de linfomas?

Os principais sintomas de linfomas envolvem:

  • suores noturno;
  • esplenomegalia (aumento do baço);
  •  aumento dos linfonodos (gânglios);
  • febre, coceira na pele;
  • perda de peso sem motivo aparente. 

Em especial, os sintomas de linfomas estão presentes na região do pescoço, virilha e axila.

Como prevenir?

Como em outras formas de câncer e doenças, uma alimentação saudável contribui para a prevenção dos linfomas. Da mesma forma, evitar a exposição química potencialmente cancerígena é muito importante. 

Contudo, a melhor forma de prevenir os linfomas de Hodgkin e não-Hodgkin é por meio da detecção precoce. Essa estratégia possibilita visualizar o tumor em fase inicial, aumentando as possibilidades de tratamento.

O diagnóstico precoce pode ser feito por meio da investigação com exames de rotina em pessoas sem os sinais e sintomas de linfomas, contudo, que pertencem a grupos com maiores chances da doença.

Você pôde conferir a importância do diagnóstico precoce através de exames periódicos nos linfomas de Hodgkin e não-Hodgkin. Por isso, as formas de conscientização adotadas no dia 15 de setembro para identificar sintomas de linfomas e incentivar essas medidas de prevenção são essenciais para garantir maiores chances de tratamento adequado.

Que tal marcar exames de rotina e manter sua saúde em dia? Na Clínica CEU, você pode fazer o agendamento de forma online!

Rate this post
Sintomas de linfomas: o que você não pode deixar de saber
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM


Warning: Use of undefined constant php - assumed 'php' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/dcm6c87qt1ur/public_html/wp-content/themes/ceu/sidebar.php on line 1