Ultrassom de tireoide: como o exame ajuda no diagnóstico?

Segundo informações da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, as complicações na tireoide afetam 10% das mulheres acima dos 40 anos e 20% das que estão acima dos 60 anos. Por isso, as consultas preventivas envolvem exames de rotina, como o ultrassom de tireoide, que são atualmente indispensáveis.

Por interferir no funcionamento de órgãos e estar relacionada ao desenvolvimento de crianças e adolescentes, o controle da tireoide deve ser realizado de forma rigorosa.

A seguir, você vai conhecer melhor este assunto e entender a importância do ultrassom de tireoide para o diagnóstico de distúrbios e doenças. Acompanhe!

 Qual a função da tireoide?

A tireoide é conhecida como o centro de comando do funcionamento do organismo. Localizada na região do pescoço, ela produz dois hormônios que atuam como mensageiros das funções metabólicas no corpo. 

Essas substâncias são conhecidas como triiodotironina (T3) e tiroxina (T4), e circulam na corrente sanguínea, com a missão de regular a função dos órgãos ao controlar o metabolismo, a transformação de alimentos em energia e a temperatura.

A função da tireoide é comandada por uma pequena glândula, chamada hipófise, instalada na base do cérebro, é responsável por produzir um hormônio estimulante da tireoide (TSH). É o TSH que leva a tireoide a produzir a T3 e a T4.

Além disso, o órgão age diretamente nas funções de órgãos como o cérebro, coração, rins e fígado, influenciando na fertilidade, ciclo menstrual, emocional, capacidade de concentração, memória e peso.

Quais as principais doenças ou disfunções?

A regulação da produção de hormônios é realizada por um complexo sistema que envolve órgãos e glândulas. Por isso, seu desequilíbrio pode causar inúmeros problemas. Veja quais são as principais doenças e disfunções da tireoide.

Hipertireoidismo ou Hipotireoidismo

O hipertireoidismo e hipotireoidismo são distúrbios que ocorrem devido às alterações na produção de hormônios pela tireoide. O hipertireoidismo, é caracterizado pelo aumento na produção dos hormônios T3 e T4, situação que acarreta perda de peso, aumento dos batimentos cardíacos, ansiedade e insônia.

Já no hipotireoidismo, ocorre o caminho contrário: há a diminuição na produção dos hormônios, causando assim o aumento de peso, cansaço, fraqueza e até impotência sexual. Essas causas podem ser congênitas, ou seja, desde o nascimento, autoimunes, inflamatórias ou mesmo efeitos colaterais do tratamento de outras doenças.

Doença de Graves

Além do hipertireoidismo e hipotireoidismo, outra disfunção que ocorre e pode ser identificada com o ultrassom de tireoide é a doença de Graves. Essa disfunção é um tipo de hipertireoidismo causado por condições autoimunes. Além dos sintomas já descritos, a pessoa também pode apresentar olhos salientes e a formação de placas endurecidas e avermelhadas sob a pele.

Bócio

O bócio é caracterizado pelo aumento visível do tamanho da tireoide. As causas podem ser variadas, desde inflamações a formação de nódulos nas glândulas. São comuns sintomas como dificuldade para engolir e respirar e sensação de aperto na garganta.

Nódulos e cistos

O aparecimento de nódulos e cistos nem sempre tem uma causa descoberta. A grande parte deles é benigno e desaparece naturalmente, sem a necessidade de tratamento ou retirada. Podem ser palpáveis ou não, motivo que torna o ultrassom de tireoide tão importante.

Tumores

Os tumores são formados pelo crescimento de tecido anormal, que pode ser benigno ou maligno. Neste segundo caso, quando o câncer é detectado, é necessário realizar a retirada da glândula tireoide. Assim como em outros casos, as causas nem sempre são determinadas.

Qual o papel do ultrassom da tireoide no diagnóstico de disfunções?

Não é incomum que a glândula tireoide sofra inflamações que podem reduzir a sua capacidade de funcionamento e também acelerar, causando distúrbios como o hipotireoidismo, hipertireoidismo e outros como os citados acima.

Em situações com essa, o ultrassom da tireoide é o exame de imagem que pode ajudar a detectar e diagnosticar tais anomalias. Este tipo de ultrassom serve para diagnosticar lesões focais (nódulos), sejam elas benignas quanto malignas. 

Além disso, o ultrassom de tireoide permite a avaliação de linfonodos (gânglios) e glândulas salivares. O exame, assim como as outras ultrassonografias, não exige preparo e é feito de forma simples e indolor.

Para a realização do ultrassom de tireoide o paciente deve estar deitado na maca, enquanto o responsável pelo procedimento desliza o transdutor pela garganta com a ajuda de um gel. O aparelho emite ondas sonoras de alta frequência que, ao estar em contato com os órgãos, geram imagens bidimensionais em tempo real, sem causar nenhum tipo de efeitos colaterais após a realização.

Você pôde conhecer como o ultrassom de tireoide é um exame de imagem fundamental para o diagnóstico de doenças e distúrbios. Afinal, permite a avaliação de uma das principais glândulas do corpo. 

O ultrassom de tireoide é também um aliado importante no acompanhamento destas alterações, contribuindo para o monitoramento de tratamentos. Por isso, faça o acompanhamento médico e a realização periódica de exames como este, garantindo sua saúde e bem-estar.

Não sabe onde realizar o ultrassom de tireoide? Então, veja também onde realizar o exame em Belo Horizonte!

Ultrassom de tireoide: como o exame ajuda no diagnóstico?
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM