Sintomas do câncer de colo de útero: eles são realmente silenciosos?

O câncer de colo de útero é atualmente o quarto tipo de câncer que mais atinge mulheres no Brasil, segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer). Esse grande número está relacionado a um grande fator: a falta de conhecimento das mulheres em relação aos sintomas do câncer. 

A insuficiência de conhecimento relacionado a essa doença, estratégias de prevenção e tratamento justificam as altas taxas de incidência, morbidade e mortalidade pelo câncer de colo de útero no Brasil.

Afinal, os sintomas do câncer são silenciosos no início e só aparecem quando o quadro já é avançado. Assim, diminuindo as chances de tratamento e cura. Por motivos como esse, as consultas de rotina para realização de exames como o papanicolau (conhecido como preventivo) são essenciais. 

O artigo de hoje tem como objetivo esclarecer a importância da prevenção da doença, visto que os sintomas do câncer de colo de útero podem ser percebidos somente em etapas mais graves, quando o diagnóstico realizado não é tão favorável para a saúde da mulher. Continue a leitura para acompanhar as informações, a seguir!

O que é o câncer de colo de útero?

O câncer de colo de útero é uma doença que acontece na região inferior do útero, conhecida como cérvice. Esse tipo de câncer se desenvolve de forma lenta e silenciosa. Ou seja, os sintomas do câncer de colo de útero não podem ser percebidos nas fases iniciais. 

Contudo, a doença pode ser detectada no início, ou mesmo quando a lesão ainda é uma lesão pré-câncer por meio de consultas preventivas e a realização do exame papanicolau. A recomendação periódica desse teste é feita devido à possibilidade do diagnóstico que garante altas chances de cura, com probabilidade de quase 100%.

Quais são as causas do câncer de colo de útero?

Assim como outros tipos de tumores malignos, o câncer de colo de útero acontece devido à multiplicação desordenada de células anormais, que formam lesões e podem se encaminhar para a circulação, atingindo diferentes órgãos e tecidos do corpo.

A principal causa do câncer de colo de útero é a multiplicação do papilomavírus humano (HPV), microorganismo responsável por grande parte dos casos do câncer de colo de útero, que é transmitido sexualmente.

Pesquisas consideram que a maioria das mulheres será exposta a este agente durante sua vida sexual, contudo, somente uma parte delas desenvolverá lesões relacionadas, sendo as mais frequentes as verrugas genitais, lesões pré-câncer, e o câncer invasivo.

Ao entrar em contato com o HPV de alto risco, o vírus causa mutações nas células que podem ser leves e benignas de início, chamadas displasias ou lesões pré-câncer. Ao persistir a infecção e as alterações não forem diagnosticadas e tratadas, podem evoluir para neoplasia invasiva, crescendo e se espalhando para outros tecidos, visto que os sintomas do câncer não vão aparecer neste período.

Por isso, é importante estar em dia com os exames de prevenção para que alterações como essa sejam diagnosticadas ainda no início, com chance de serem tratadas antes que aconteça a evolução para um tumor maligno.

Quais são os sintomas do câncer de colo de útero?

Como vimos, na chamada fase inicial ou pré-clínica, os sintomas do câncer de colo de útero não aparecem, motivo que ratifica a importância da mulher manter o acompanhamento ginecológico periódico para que sinais pré-cancerosos sejam identificados em exames. Em fases mais avançadas, os sintomas do câncer de colo de útero que podem estar presentes no corpo da mulher, são:

  • corrimento;
  • sangramento entre períodos de menstruação;
  • sangramento e dor após as relações sexuais;
  • dores ao urinar;
  • urgência para urinar;
  • sangramento intestinal;
  • constipação intestinal.

Apresentar algum desses sintomas não significa que a mulher tenha câncer de colo de útero, visto que muitos deles também estão presentes em outras doenças. Por isso, consultar um especialista é essencial para ter o diagnóstico correto diante de qualquer um destes casos.

Quando procurar ajuda médica?

Apresentar algum desses sintomas não significa que a mulher tenha câncer de colo de útero, visto que muitos deles também estão presentes em outras doenças. Por isso, consultar um especialista é essencial para ter o diagnóstico correto diante de qualquer um destes casos.

Além disso, manter consultas periódicas como forma de prevenção é a melhor maneira de evitar o câncer de colo de útero. Com alta eficiência e custo baixo, o papanicolau é um exame rápido que eleva as chances de cura para 100% em grande parte dos casos.

Como é a consulta?

Em uma consulta, o médico também poderá esclarecer sobre a vacinação contra HPV, indicada para mulheres entre 9 e 45 anos, com maior preferência para aquelas que já iniciaram a vida sexual. No entanto, essa medida deve ser associada às demais formas preventivas para aumentar a proteção, e não ser usada como substituta. 

Ao perceber alterações no exame de papanicolau, o profissional realiza a colposcopia, exame que permite a visualização da região do colo do útero assim como a detecção de alterações não detectadas no exame ginecológico a olho nu. Identificada e confirmada alguma lesão, é feita então uma biópsia. 

Nesse processo realizado durante a colposcopia, são retirados minúsculos fragmentos de áreas suspeitas, que devem ser analisadas para pesquisar a presença e natureza dessas alterações (benigna ou maligna). O veredicto que fecha o diagnóstico é o resultado da biópsia.

Nesse cenário, a falta de acompanhamento ginecológico é um dos principais motivos que leva o câncer de colo de útero ser o 4º a atingir mais brasileiras. Sem a possibilidade de identificar a doença em fase inicial as chances de cura diminuem, visto que muitas mulheres só percebem a doença quando os sintomas do câncer estão presentes. Por motivos como este, é fundamental manter o acompanhamento médico periódico.

Quer continuar se informando sobre assuntos como este? Então, confira quais doenças podem ser diagnosticadas por biópsia!

Sintomas do câncer de colo de útero: eles são realmente silenciosos?
Equipe da Clínica CEU

Responsável pelo conteúdo: Dr Rogério Augusto Pinto da Silva - CRM: 13323 - MG. Currículo Lattes. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728497Y9

LEIA TAMBÉM